Cacá Bueno segura Ricardo Zonta e vence a primeira corrida no Velopark

Pole position não quis saber de dar chance aos adversários. Zonta foi o segundo colocado e Julio Campos, o terceiro. Segunda largada acontece logo mais às 13h35

Levou 55 corridas e quase dois anos para que Cacá Bueno voltasse a sentir o gosto da vitória na Stock Car. O jejum foi encerrado no início da tarde deste domingo (22) no Velopark, durante a primeira corrida da terceira etapa da temporada. Largando da pole position, o pentacampeão da categoria chegou à 26ª vitória de sua carreira e À sua 78ª presença no pódio da Stock Car. Mas não veio fácil: ele teve de segurar, nas voltas finais, todo o ímpeto de Ricardo Zonta, o segundo colocado. Julio Campos fechou o pódio em terceiro.

“Feliz da vida. Reencontramos o caminho. O carro é extremamente bom na pista seca, mas ainda não é o melhor. O Zonta vinha mais rápido. Na chuva, no entanto, é um fenômeno. Vamos melhorando ao longo do ano para buscar este título”, disse. “A corrida foi boa, estava muito quente e depois do pit stop minha pressão até baixou um pouco, por isso tive que esperar uns dois minutinhos para sair do carro após o fim da prova”, justificou.

Os primeiros colocados do grid mantiveram a ordem na largada, com Cacá liderando o pelotão. Na abertura da terceira volta, Lucas Foresti tomou a segunda posição de Allam Khodair usando o push to pass. Max Wilson deixou a disputa da primeira corrida após sete voltas, parando nos boxes com problemas técnicos.

Na 11ª volta, Lucas di Grassi bateu no muro da entrada da reta principal, quando era o 21º colocado, forçando a entrada do carro de segurança para a retirada do bólido avariado do então vice-líder do campeonato. A batida, segundo o piloto, foi causada pela roda dianteira esquerda solta. Átila Abreu (problemas no carro) e Rubens Barrichello (atingido na traseira por outro competidor) também abandonaram a corrida de número 1.

Cacá Bueno seguia tranquilo na liderança seguido por Foresti, Khodair, Zonta, Julio Campos, Felipe Fraga, Sérgio Jimenez, Vitor Genz, Denis Navarro e Felipe Lapenna fechando o bloco dos dez primeiros colocados.

A disputa foi reiniciada na volta 15. Julio Campos e Felipe Fraga tomaram a posição de Ricardo Zonta e subiram para a quarta e quinta posições, respectivamente. Na 18ª volta, Max Wilson voltou à pista depois que a equipe resolveu o problema de seu carro. Ao mesmo tempo, Cesar Ramos abandonava a prova.

Os boxes foram abertos para as paradas obrigatórias no 19º giro, e Cacá Bueno não perdeu tempo, sendo o primeiro a parar para trocar pneus. Foresti parou na volta seguinte, mas seu pit stop demorou mais que o planejado e ele voltou atrás de Ricardo Zonta, que fez boa estratégia de box e retornou imediatamente atrás de Bueno. Lucas ainda foi superado por Julio Campos e Felipe Fraga logo em seguida.

A prova seguia com Cacá na ponta, seguido por Zonta, Campos, Fraga, Ricardo Maurício, Foresti, Khodair, Marcos Gomes, Gabriel Casagrande e Daniel Serra fechando o top-10 após 30 voltas. A seis minutos do final, Barrichello deixou os boxes para ao menos completar a primeira corrida e largar na segunda. Casagrande ultrapassou Khodair pelo sexto lugar e Daniel Serra superou Marcos Gomes para assumir o nono lugar. Sérgio Jimenez, Diego Nunes e Vitor Genz protagonizaram uma bela disputa pelo 13º lugar, com vantagem para o piloto da Scuderia G-Force.

Na parte final, Ricardo Zonta começou a atacar Cacá Bueno pela vitória. A diferença entre o piloto da Cimed e o da Shell era inferior a meio segundo. Cacá Bueno conseguiu segurar o ímpeto do adversário para vencer pela primeira vez pela equipe Cimed Racing e encerrar um jejum de quase dois anos sem vitória.

Ricardo Zonta fechou em segundo, com Julio Campos em terceiro, Felipe Fraga em quarto e Ricardo Maurício em quinto. Lucas Foresti, Gabriel Casagrande, Daniel Serra, Allam Khodair e Marcos Gomes fecharam os dez primeiros que largam em ordem inversa logo mais às 13h35.

Resultado provisório – Corrida 1*:
1. 0 Cacá Bueno (Cimed Racing) – 41 voltas em 40min17s304
2. 10 Ricardo Zonta (Shell V-Power) – a 0s668
3. 4 Julio Campos (Prati-Donaduzzi Racing) – a 8s716
4. 88 Felipe Fraga (Cimed Racing) – a 8s974
5. 90 Ricardo Maurício (Full Time Sports) – a 12s308
6. 12 Lucas Foresti (Cimed Racing Team) – a 13s261
7. 83 Gabriel Casagrande (Vogel Motorsport) – 15s399
8. 29 Daniel Serra (Eurofarma RC) – a 16s676
9. 80 Marcos Gomes (Cimed Racing Team) – a 17s973
10. 18 Allam Khodair (Blau Motorsport) – a 17s984
11. 21 Thiago Camilo (Ipiranga Racing) – a 19s089
12. 5 Denis Navarro (Cavaleiro Sports) – a 20s278
13. 46 Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team) – a 24s750
14. 70 Diego Nunes (Full Time Bassani) – a 25s775
15. 25 Tuka Rocha (Vogel Motorsport) – a 31s788
16. 8 Rafael Suzuki (Bardahl Hot Car) – a 32s639
17. 44 Bruno Baptista (Hero Motorsport) – a 33s128
18. 55 Sérgio Jimenez (Squadra G Force) – a 1min11s276*
19. 33 Nelson Piquet Jr (Full Time Bassani) – a 2 voltas
20. 28 Galid Osman (Cavaleiro Sports) – a 3 voltas
21. 77 Valdeno Brito (Eisenbahn Racing Team) – a 5 voltas
22. 3 Bia Figueiredo (Ipiranga Racing) – a 6 voltas
23. 9 Guga Lima (Squadra G Force) – a 10 voltas
24. 1 Antonio Pizzonia (Prati-Donaduzzi Racing) – a 10 voltas
NÃO COMPLETARAM (75% DA DISTÂNCIA DE CORRIDA)
25. 110 Felipe Lapenna (Cavaleiro Confuflex) – a 12 voltas
26. 117 Guilherme Salas (Bardahl Hot Car) – a 14 voltas
27. 30 Cesar Ramos (Blau Motorsport) – a 24 voltas
28. 111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) – a 24 voltas
29. 65 Max Wilson (Eurofarma RC) – a 26 voltas
30. 51 Átila Abreu (Shell V-Power) – a 30 voltas
31. 11 Lucas di Grassi (Hero Motorsport) – a 31 voltas
MELHOR VOLTA: Julio Campos – 54s334 (média de 150,9 km/h)
*Penalizado em 50 segundos no tempo de prova por atitude anti-desportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *