Bruno Senna fecha ano com 4º lugar em Xangai: “Não era nosso dia”

Mundial de Endurance será retomado apenas em março nos Estados Unidos

Não foi o resultado esperado, mas o possível dentro das difíceis circunstâncias. Em resumo, esse foi o sentimento de Bruno Senna depois do 4º lugar nas 6 Horas de Xangai, quinta etapa da supertemporada 20218/2029 e última do ano do Campeonato Mundial de Endurance – FIA WEC.

A expectativa de novo pódio, depois do animador treino classificatório que colocou o protótipo LMP1 da Rebellion Racing no terceiro lugar do grid, acabou não se confirmando ao final de uma prova marcada pela pista sempre molhada, chuva variando de pesada a leve, diversas intervenções do carro de segurança e bandeiras vermelhas. A favorita Toyota voltou a conquistar uma dobradinha, com a vitória do trio formado pelo japonês Kamui Kobayashi, o inglês Mike Conway e o argentino Jose Maria Lopez.

Prevista desde o início da semana, a chuva intensa marcou presença já no início. “Foi um dilúvio, que exigiu a largada com o safety car. E não demorou muito para a primeira paralisação da corrida. Depois, foi sempre assim, e em nenhum momento o asfalto chegou perto de secar.

Nosso carro estava com problemas para aquecer os pneus quando tinha muita água, especialmente os dianteiros. O balanço do carro estava muito ruim. Quando o circuito estava menos molhado, até que nosso ritmo era bom”, explicou Bruno, que dividiu o cockpit com o suíço Neel Jani e o alemão Andre Lotterer. “Os safety car sempre nos complicaram, também”, acrescentou. “Não era nosso dia, e o 4º lugar foi o melhor que conseguimos fazer, considerando todas as dificuldades.”

O calendário será retomado apenas em março, nos Estados Unidos, com as 12 Horas de Sebring.

 

Os melhores em Xangai:

1 – Kamui Kobayashi, Mike Conway e Jose Maria Lopez, Toyota, 113 voltas

2 – Kazuki Nakajima, Fernando Alonso e Sébastien Buemi, Toyota, a 1s419

3 – Mikhail Aleshyn, Jenson Button e Vitaly Petrov, BR Engineering AER, a uma volta

4 – Bruno Senna, Andre Lotterer e Neel Jani, Rebellion Gibson, a uma volta

5 – Gustavo Menezes, Mathias Beche e Thomas Laurent, Rebellion Gibson, a três voltas

6 – Rene Van der Zande, Ben Hanley e James Allen, BR Engineering Gibson, a três voltas