Schumacher comenta que ‘há um lado bom e outro ruim’ em seguir os passos do pai

Mick Schumacher, filho do heptacampeão mundial Michael Schumacher, disse que “há dois lados, um bom e outro ruim”, sobre seguir os passos de seu pai em corridas profissionais.

Schumacher venceu o campeonato europeu de Fórmula 3 no ano passado, e correrá na Fórmula 2 este ano, ao mesmo tempo em que assinou contrato com a Ferrari Driver Academy no início deste mês.

Em entrevista à revista Auto da FIA, ele disse “Estou feliz por ser o filho do maior piloto de F1 de todos os tempos, estou feliz que ele é o maior piloto de F1 de todos os tempos, e eu o admiro por isso”, RaceFans .líquido.

Seu pai sofreu um acidente de esqui há cinco anos que o deixou gravemente ferido, e está em tratamento intensivo privado desde então.

“E mesmo que às vezes possa ser um pouco difícil, é o que é. Há um lado bom e outro ruim.”

“Ter o apoio que tenho de muitas pessoas em todo o mundo, não pode ser uma coisa ruim. Estou agradecido por tal coisa.”

No Campeonato Europeu de F3, Schumacher demorou para vencer uma corrida, mas passou a dominar depois de vencer em Spa e em Nurburgring.

“Começou em Spa e depois em Nurburgring, onde venci as três corridas, ficou claro que o título estava ao alcance. Em retrospectiva, pode parecer estranho, mas durante toda a temporada eu nunca pensei que o título estivesse fora de vista, eu estava sempre convencido de que ainda era possível vencer”.

Ele falou sobre como ele foi no kart com seu pai quando ele era mais jovem, e de suas intenções desde tenra idade.

“Corrida e kart, são coisas normais na minha família, e eu sempre gostei de andar de kart com meu pai. Foi muito divertido compartilhar isso com ele, e me lembro dele perguntando um dia, se isso seria um hobby para mim ou se eu queria fazer isso como profissional”.

“Eu disse a ele imediatamente que queria fazer isso profissionalmente. Eu nunca quis fazer outra coisa”, concluiu Schumacher.