Yamaha afirma que mudança de líder do projeto não tem nada de especial

O presidente da Yamaha Motor Racing, Kouichi Tsuji, tentou minimizar a decisão da fábrica de substituir o líder do seu projeto de MotoGP, antes da temporada 2019, afirmando que era uma questão de “rotatividade” de pessoal.

A notícia apareceu na semana passada afirmando que Kouiji Tsuya, líder de projeto da Yamaha em 2017 e 2018, foi substituído por Takahiro Sumi, um engenheiro de fábrica com experiência em design de chassis.

Considerando que os resultados da Yamaha no ano passado foram bem abaixo dos padrões estabelecidos pela sua história recente, e pelos pilotos Valentino Rossi e Maverick Viñales, acredita-se que a mudança tenha sido relacionada ao desempenho.

Além de ter conseguido apenas uma vitória e dez pódios na temporada de 19 etapas do ano passado, Tsuya ainda foi à mídia na Áustria, para oferecer desculpas públicas a seus dois pilotos após uma desastrosa sessão de classificação.

Falando no lançamento do time para a Sepang Racing Team, a nova equipe satélite da Yamaha, Tsuji, confirmou a mudança e disse que era “normal, nada de especial.” Isso equivalia a pouco mais que “rotatividade” na equipe aos seus olhos.

“O novo líder de projeto é o que chamamos de líder do grupo de MotoGP. Seu nome é Takahiro Sumi. Ele era um designer de chassis.

“Muitas vezes precisamos ter alguma rotatividade para pensar em melhorar o futuro. Isso não foi nada de especial. Foi muito normal ”, disse Tsuji.

Entre os principais pontos da lista “Para fazer” de Sumi, está a necessidade de fornecer um motor M1 mais dócil e atualizar o pacote de eletrônicos, uma fonte de frustração para os pilotos da fábrica desde 2017.

Tsuji também usou uma conferência de imprensa com figuras-chave do novo projeto SRT MotoGP, para afirmar a importância de ter uma equipe satélite competitiva entre as fileiras da Yamaha.

MotoGP: Yamaha: Project leader ‘rotation nothing special’