Wickens queria entrar no cockpit em evento de lançamento da SPM

Robert Wickens mostrou sua paixão em poder voltar a um carro da Indy, depois de dizer que queria tentar empurrar os pedais em seu carro número 6 da Schmidt Peterson Motorsports, durante o recente evento de lançamento da equipe.

Wickens continua a se recuperar de seu horrível acidente em Pocono na última temporada, e esteve presente no lançamento dos carros de 2019 da equipe, no início deste mês.

“Esta é a primeira vez que vejo um carro de corrida desde que eu estava no grid em Pocono”, disse Wickens aos executivos da equipe no evento, conforme citado pelo IndyCar.com. “Isso me faz querer pular em um, e ver se eu posso apertar o pedal ou não.”

O último contratado da equipe SPM, é o ex-piloto de F1 Marcus Ericsson, mas ele usará o carro de número 7.

Os co-proprietários da equipe Sam Schmidt e Ric Peterson mantiveram o número 6 disponível para Wickens, como um sinal de apoio na recuperação do canadense, caso ele pudesse retornar ao cockpit.

“Significa o mundo para mim, o apoio que recebi de Ric, de Sam, de Mike”, acrescentou Wickens.

“Estou muito grato pela oportunidade de correr para eles no ano passado, e estou ainda mais grato por ter a oportunidade de correr por eles no futuro”.

“Fico feliz em ter uma ótima equipe para me trazer até aqui, e ter um carro aqui para mostrar que eles estão comprometidos comigo e com minha recuperação.”

Wickens tem sido muito aberto com os passos que está dando em sua recuperação, através das mídias sociais, com a ajuda de seu parceiro Karli Woods, e seu objetivo é compartilhar seu caminho de volta ao fitness, para ajudar a espalhar a consciência sobre lesões na coluna vertebral.

“A recuperação tem sido dura, tem sido a coisa mais difícil que já fiz em toda a minha vida”, acrescentou.

“Eu tomei a decisão de compartilhar com as pessoas para ver o que está acontecendo. Porque quando estávamos fazendo uma pesquisa sobre o que realmente é uma lesão na medula espinhal, não havia muita pesquisa sobre o tipo de recuperação. Até parece que estamos tentando iluminar isso”.

“Espero que as pessoas que passem pela mesma luta, talvez consigam alguma inspiração disso. Não é fácil, ainda há um longo caminho a percorrer, mas tudo o que sei é que o apoio dos fãs tem sido fenomenal”.

“Nos dias em que estou me sentindo para baixo, esses caras me pegam de volta e me colocam na academia. Isso tem ajudado bastante”, concluiu Wickens.