Power: “Preciso que Dixon tenha uma má fase para que eu ganhe o título agora”

O vencedor da Indianápolis 500, Will Power, disse que precisa que o líder da Indy, Scott Dixon, tenha uma queda na perfomance, se quiser vencê-lo no campeonato.

O piloto da Penske, Power foi prejudicado pelo infortúnio em 2018, deixando de pontuar tanto nos ovais de Phoenix quanto no Texas e rodando no piso molhado até bater no muro em Barber. Ele também perdeu terreno significativo na corrida pelo título na Road America quando seu motor morreu na corrida.

O campeão de 2014 está agora em quarto no campeonato em virtude de suas duas vitórias, com o sucesso na Indy 500 recompensando com pontuação dupla. Dixon abriu 87 pontos de vantagem com relação à Power, com apenas quatro corridas pela frente, incluindo o final da temporada em Sonoma.

Power admite que a diferença é insuperável, a menos que Dixon tenha uma má fase, mas diz que a diferença de 27 pontos para o companheiro de equipe Josef Newgarden em terceiro e o déficit de 41 pontos para o segundo colocado Alexander Rossi faz com que seus rivais mais próximos, possam ser alcançados.

“Obviamente, Newgarden e Rossi estão muito mais próximos”, disse Power. “Mas Dixon, precisamos que ele tenha uma corrida ruim, simples assim”.

“É assim que vamos pegá-lo. Ele teve um ano todo bom, muito suave, muito consistente. Só precisamos que ele tenha um dia ruim, basicamente.”

Power acrescentou que os pontos duplos oferecidos em Sonoma irão beneficiá-lo mais do que os pilotos à frente, e que ele pode ter que arriscar mais para superar Dixon.

“Sim, pontuação dupla absolutamente muda sua estratégia”, disse Power. “Pontos duplos ajudam você se você está tão longe quanto eu”.

“Você obviamente tem que ser muito agressivo com a sua estratégia, dependendo de como você se qualifica. Você irá para lá para tentar vencer a corrida. Talvez você tenha que usar estratégia de risco para fazer isso.”

“Mesmo na pista, você precisa ser bastante agressivo. Sim, a situação de pontos duplos é ótima para a minha posição”.

Testes de pneus da Indy

Power e Dixon testaram no Indianapolis Motor Speedway na terça-feira em um teste para o único fornecedor de pneus da série, a Firestone, e ajudaram a coletar dados para a direção da Indy para o próximo ano da Indy 500, após críticas sobre a corrida de 2018.

A Indy 500 – 2018, foi disputada em grande parte em fila única por conta do pacote experimentado com a última geração de aerokit.

“Fizemos alguns testes de dinâmica de fluidos computacional e algumas coisas no túnel do vento que achamos que abordariam isso, as críticas”, disse Bill Pappas, vice-presidente de competição e engenharia da Indy. “Nós colocamos isso em teste aqui e estamos obtendo feedback dos dois pilotos agora”.

“Estamos tentando encontrar algumas soluções que não obriguem as equipes a descartarem muitas partes. Da nossa perspectiva, não foi uma corrida horrível”.

“É apenas um ajuste para dar aos rapazes um pouco mais de consistência no tráfego durante as corridas. O objetivo é apenas ver se há maneiras de melhorar a corrida que tivemos este ano”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *