No Parque do Ibirapuera: Lucas Di Grassi quer a Fórmula E em São Paulo sem dinheiro público

O piloto brasileiro Lucas Di Grassi segue trabalhando para que São Paulo tenha uma etapa da Fórmula E muito em breve.

A capital paulista já recebe a Fórmula 1 em Interlagos, e o atual prefeito da cidade Bruno Covas, afirmou recentemente que quer transformar São Paulo na “capital do automobilismo” brasileiro, e para isso, além da F1 e o WEC (confirmado para janeiro de 2020 também no Autódromo José Carlos Pace) quer trazer a Fórmula E para correr no Parque do Ibirapuera.

Em entrevista exclusiva à F1Mania no Salão do Automóvel 2018, Di Grassi afirmou que o mais importante para a realização da Fórmula E em São Paulo é a “não utilização de dinheiro público”.

“O mais importante que precisamos fazer e verificar é que as categorias se interessem por São Paulo, em fazer os eventos, mas sem utilização de dinheiro público. A cidade tem outras prioridades estruturais, saúde, educação.

“Esses eventos precisam trazer receita para a cidade, promover novas tecnologias, sustentabilidade, melhora da qualidade de vida, sendo um evento benéfico para SP. Nesse contexto, a Fórmula E faz bastante sentido.

“A Fórmula E só não aconteceu ainda em SP, por não ter sido encontrada uma maneira de viabilizar o evento financeiramente, sem a utilização de verba pública, mas já existe até o traçado, que foi desenhado por Di Grassi na região no entorno do parque do Ibirapuera, hoje em dia é uma pista que não passa por dentro do parque.

“As montadoras investindo em mobilidade elétrica, somando esse evento com políticas corretas, que impulsionem a adoção de tecnologias elétricas para veículos comerciais, acho que pode ter uma sinergia muito boa para a cidade de São Paulo e para o Brasil em geral”, disse Di Grassi.

“Seria um evento também de entretenimento para o público e sem a necessidade de deslocamento até Interlagos, sendo uma prova realizada nas ruas no entorno do Ibirapuera, inclusive mostrando outro lado da cidade para o mundo. Pois as pessoas tem a imagem da região de Interlagos que possui regiões carentes, com problemas de infra-estrutura, favelas, e não conhecem locais bem estruturados como a região do Parque do Ibirapuera, e acho que mostrar este lado de SP, é fundamental, acrescentou o piloto.

Di Grassi também falou sobre a próxima temporada da Fórmula E, que começa no dia 15 de dezembro o ePrix da Arábia Saudita: “Já testamos o carro, está muito bom, porém todos evoluíram e portanto será uma temporada bastante competitiva, com diversos pilotos vencendo, brigando por pódios e pelo título”.

“Sempre temos que estar focados e ter performance. A gente sempre tem que fazer milagres, a temporada passada mostrou isso, depois de cinco quebras e zero pontos, conseguimos a recuperação e ser vice-campeão mundial. Esse ano temos que começar melhor, acumular pontos e estar na disputa pelo título”, finalizou Di Grassi.