Fórmula E explica o novo “Modo de Ataque” e as alterações da quinta temporada

A Fórmula E está chegando em sua quinta temporada com a promessa de um ano ainda mais emocionante, introduzindo uma inovação no esporte a motor com o objetivo de melhorar ainda mais o espetáculo para os fãs e manter a imprevisibilidade das corridas de rua da série de monopostos totalmente elétrica.

A temporada 2018/19 marcará as maiores mudanças nos regulamentos da história da categoria, com a Fórmula E entrando em sua segunda geração de carros, o Gen2, além do formato de corrida revisado.

As mudanças são uma constante no automobilismo e o desenvolvimento do Gen2 está realmente superando as expectativas – dentro e fora das pistas – mostrando mais potência, o dobro do alcance da bateria e um design futurista diferente de tudo que já foi visto no automobilismo.

O Gen2 não só tem seu exterior completamente diferente de seu antecessor, como também há mudanças de muitos componentes estruturais do carro, deixando a F-E como um dos campeonatos mais relevantes para a indústria automotiva atual.

“A Fórmula E sempre tomou grande estruturas na implementação de novas ideias para aprimorar as ultrapassagens, como o modo de ataque”, disse Jean-Eric Vergne, atual campeão da F-E.

“Atrás do volante, queremos ter condições de competir duro a os fãs querem ver isso também – então (o novo modo de ataque) deverá promover emocionantes e imprevisíveis resultados”.

 

A segunda geração da F-E permitirá que as corridas sejam inteiramente percorridas com apenas um carro, já que a nova bateria tem quase o dobro da capacidade de armazenamento da atual. Mas não será fácil para equipes e pilotos administrarem suas cargas, já que precisão gerenciar a duração da bateria em uma contagem regressiva de 45 minutos (+ 1 volta), o que significa que provavelmente haverá mais variações nas estratégias e resultados.

O Modo de Ataque estará acessível para todos os pilotos a partir da segunda volta das corridas – permitindo que eles se aproximem e ultrapassem seus rivais, ou então defendam a posição. O Modo de Ataque aumenta temporariamente os níveis de potência de 200kW – modo de corrida padrão – para 225kW por um curto período de tempo – que será determinado pela FIA em cada corrida.

Será obrigatório que os pilotos usem o Modo de Ataque durante a corrida, com o período de tempo preciso e a quantidade de ativações determinadas pela FIA e ajustadas de acordo com o layout e configuração de cada circuito.

Para iniciar o Modo de Ataque, o piloto deve passar por uma zona de ativação definida fora do traçado ideal do circuito. O piloto é obrigado a “armar” o Modo de Ataque no volante quando se aproximar da zona de ativação e passar atrás dos sensores de tempo para receber “potência extra” instantaneamente.

Para ajudar os fãs entenderem o Modo de Ataque, a transmissão da Fórmula E incorporará a realidade virtual – com a zona de ativação “renderizada” na pista como um gráfico. A tecnologia de última geração vai aproveitar o rastreamento das câmeras, dados de telemetria ao vivo e poderosos mecanismos gráficos para ajudar a “contar a história” da corrida.

Vejo o vídeo – MODO DE ATAQUE da Fórmula E:

 

No Modo de Ataque, os pilotos inicialmente podem perder algum tempo – e possivelmente posições – saindo do traçado ideal de corrida para passar na zona de ativação. No entanto, eles rapidamente terão a oportunidade de recuperar suas posições e ganhar outras com o aumento de potência imediato.

Os diferentes modos de potências serão indicados usando luzes fluorescentes de LED presentes no halo – duas outras inovações da Fórmula E para a quinta temporada. Quando as luzes estiverem azuis, o carro estará em Modo de Ataque (225kW), mudando para vermelho quando o piloto utilizar o Fanboost (240kW a 250kW).

“A Fórmula E mudou o conceito ao ser a primeira série elétrica – então está claro que não temos medo de tentar coisas novas”, disse o CEO e fundador da Fórmula E, Alejandro Agag.

“Estou ansioso para ver o Gen2 e o Moto de Ataque em ação durante um cenário de corrida nos circuitos de rua apertados e desafiadores da nossa série.

“Espero por este momento há bastante tempo e este é o ano em que o Campeonato de Fórmula E da ABB DIA vai amadurecer”, concluiu.

 

CINCO alterações da temporada CINCO da Fórmula E

1. Gen2 e Bateria Gen2 – um novo conceito de design aderido por todas as equipes em suas carrocerias, enquanto ainda desenvolvem seus próprios componentes internos para o motor, inversor, caixa de câmbio, suspensão traseira e software.

Já a nova bateria de maior alcance oferece quase o dobro da capacidade de armazenamento de energia, aumentando de 28kWh para 54kWh e permitindo que os pilotos completem uma corrida completa sem a necessidade de trocar de carro.

2. Modos de potências mais altos – a potência máxima do modo de corrida padrão aumentará de 180kW para 200kW, com 250kW disponíveis durantes a sessões de treinos e qualificação.

3. Modo de Ataque – integrado ao novo formato de corrida, será obrigatório que os pilotos ativem o Modo de Ataque durante cada ePrix, aumentando temporariamente os níveis de potência para 225kW.

4. Fanboost – concedido aos pilotos com maior número de votos online através das redes sociais. A votação fecha na fase de abertura da corrida com os vencedores do Fanboost recebendo potência extra – acionada através de um botão, uma única vez durante a corrida.

5. Halo com iluminação LED – com a introdução obrigatória do dispositivo de proteção do cockpit, a Fórmula E inovou com o uso de uma faixa de LED ao redor do halo, permitindo que os fãs reconheçam facilmente os diferentes modos de potência de cada carro.

AZUL será a cor quando o piloto estiver em MODO DE ATAQUE (225kW) e VERMELHO quando os pilotos utilizarem o FANBOOST (entre 240kW e 250kW). No modo de corrida padrão (200kW), o sistema de iluminação LED não está ativo.

 

Veja alguns vídeos do nosso Canal no Youtube. Confira:

Victor Berto visita a “Dream Racing” em Las Vegas e pilota uma Maserati GranTurismo Sport e uma Ferrari F430 Scuderia no “Las Vegas Motor Speedway”, que recebe etapas da NASCAR em seu oval. Confira o vídeo:

GEN2 – As peças e componentes da SEGUNDA GERAÇÃO de carros da FÓRMULA E:

Victor Berto, direto de Las Vegas, te leva para um passeio a bordo da LAMBORGHINI HURACAN LP610-4, uma MERCEDES AMG GTS V8 e uma MCLAREN 570S, 250 km/h em Lake Mead. Confira o vídeo: