Evans toma a liderança na largada e vence o ePrix da Cidade do México - Fórmula E - F1Mania

Evans toma a liderança na largada e vence o ePrix da Cidade do México

Mitch Evans venceu neste sábado (15) o ePrix da Cidade do México, quarta etapa da temporada 2019/2020 da Fórmula E, disputado no Autódromo Hermanos Rodríguez. O neozelandês da Jaguar tomou a liderança ainda na largada, quando ultrapassou André Lotterer, e não foi mais ameaçado pelos rivais, conquistando a primeira vitória no atual campeonato da categoria dos carros movidos a eletricidade.

A segunda posição ficou com António Félix da Costa, piloto da DS Techeetah que completou a corrida 4s271 atrás de Evans, após escalar o pelotão ao longo da corrida. O pódio foi completado por Sébastien Buemi, representante da Nissan e.dams que esteve sempre entre os líderes da corrida. Jean-Eric Vergne, com o segundo carro da DS Techeetah, foi o quarto, enquanto Alexander Sims, da BMW Andretti, fechou o top-5.

Lucas Di Grassi fez outra boa corrida de recuperação, terminando em sexto com a Audi Sport, chegando logo à frente de Oliver Rowland, companheiro de Buemi na Nissan e.dams. Edoardo Mortara, com um equipamento da Venturi, completou em oitavo, enquanto James Calado, da Jaguar, foi o nono. Pascal Wehrlein, que largou da última fila com a Mahindra, fechou a lista dos dez primeiros. Felipe Massa abandonou após bater.

A temporada 2019/2020 da Fórmula E terá sequência no dia 29 de fevereiro, quando será disputado o ePrix de Marrakesh, no Marrocos.

Confira como foi a corrida

A prova no México começou com Mitch Evans superando André Lotterer na largada, tomando a liderança. O alemão da Porsche despencou para a quarta posição, já que foi superado também por Nyck de Vries e Sébastien Buemi, enquanto Sam Bird completou o grupo dos cinco primeiros. Lucas Di Grassi apareceu na 13ª posição, enquanto Felipe Massa manteve a 19ª colocação.

O brasileiro da Audi Sport ganhou uma posição ao superar Oliver Rowland na segunda volta, enquanto Lotterer recuperou a terceira colocação no giro seguinte. O Safety Car foi acionado na terceira volta, após Nico Müller acertar a barreira de proteção com violência, abandonando a corrida.

A relargada aconteceu na volta 6, com Bird deixando Lotterer para trás, tomando a terceira colocação. O alemão, aliás, despencou novamente, caindo para a sexta posição. No pelotão de trás, Massa acertou a barreira de pneus e abandonou a disputa no México, conseguindo levar o carro para fora do traçado.

Na oitava volta, Di Grassi tomou a décima posição ao ultrapassar Stoffel Vandoorne, enquanto Lotterer teve problemas com um dos pneus, perdendo mais posições. Na frente, quem se aproveitou foi Bird, que deixou Buemi para trás para tomar a segunda colocação, ficando atrás apenas de Evans, que mantinha a liderança.

António Félix da Costa superou Jean-Eric Vergne na 14ª volta, tomando a sexta posição, enquanto Di Grassi, duas voltas depois, tomou a oitava posição de Edoardo Mortara, se valendo do uso do segundo acionamento do Attack Mode. O suíço também acabou ultrapassado por Vandoorne, despencando para a décima posição.

Da Costa partiu para o ataque sobre De Vries, viu o português acionar o Fan Boost, e acabou perdendo o traçado, parando na área de escape, e recebendo um toque de Robin Frijns. Melhor para Di Grassi, que avançou para o sexto lugar. Na frente, Evans seguia na liderança com 2s8 de frente para Bird. Buemi completava o top-3.

Bird acionou o Attack Mode para tentar se aproximar de Evans, enquanto Vandoorne deixou Di Grassi para trás, tomando a sexta posição do brasileiro da Audi Sport. Da Costa, por sua vez, passou a atacar Buemi pela terceira posição, mas acabou superado por Vergne metros depois.

Ma Qing Hua acertou o muro em uma chicane, abandonando a disputa, enquanto Da Costa recuperou a quarta posição de Vergne. Mais atrás, Alexander Sims passou por Di Grassi, tomando a sétima colocação do brasileiro. Mais atrás, Daniel Abt rodou com o carro da Audi Sport.

Da Costa ganhou a terceira posição na 28ª volta ao superar Buemi. Dois giros depois, Max Günther escapou da pista e perdeu posições, caindo para o 16º posto. Outro que perdeu o traçado foi Vergne, enquanto Bird passou a ser pressionado por Da Costa, que ganhou a segunda posição ao ver o inglês passar reto e bater na barreira de pneus.

Na penúltima volta, Vandoorne bateu contra o muro, ficando lento na pista. Evans passou a ver Da Costa se aproximar rapidamente, mas manteve a liderança para vencer pela primeira vez na temporada, relegando o português ao segundo lugar. O pódio foi completado por Buemi.

Confira o resultado final do ePrix da Cidade do México:

1) Mitch Evans (Jaguar)
2) António Félix da Costa (DS Techeetah)
3) Sébastien Buemi (Nissan e.dams)
4) Jean-Éric Vergne (DS Techeetah)
5) Alexander Sims (BMW Andretti)
6) Lucas di Grassi (Audi Sport)
7) Oliver Rowland (Nissan e.dams)
8) Edoardo Mortara (Venturi)
9) James Calado (Jaguar)
10) Pascal Wehrlein (Mahindra)
11) Jérôme D’Ambrosio (Mahindra)
12) Robin Frijns (Virgin)
13) Max Günther (BMW Andretti)
14) Brendon Hartley (Dragon)
15) Oliver Turvey (NIO)
16) Neel Jani (Porsche)
17) Stoffel Vandoorne (Mercedes)
18) Sam Bird (Virgin) DNF
19) Daniel Abt (Audi Sport) DNF
20) Ma Qing Hua (NIO) DNF
21) Nyck de Vries (Mercedes) DNF
22) André Lotterer (Porsche) DNF
23) Felipe Massa (Venturi) DNF
24) Nico Müller (Dragon) DNF