Receita destinada às equipes da F1 apresenta queda no último trimestre

A receita compartilhada, “fatia do bolo” dividida pelas 10 equipes da Fórmula 1 caiu 7%, de abril a junho, em comparação com o mesmo período do ano passado. Uma queda dos 330 milhões para 307 milhões de dólares.

Em resumo, o lucro operacional da F1 caiu 69%, de 45 para 14 milhões de dólares. Isso tudo porque, a receita total do Grupo F1 caiu 5%, de 616 para 588 milhões de dólares.

A Liberty Media – detentora da categoria – diz que um dos motivos para a queda de receita, foi a uma mudança nas taxas de transmissão de TV. Além disso, no ano passado, o segundo trimestre incluiu a etapa na Rússia, evento que impulsiona a lucratividade do período. No entanto, o fator foi “parcialmente compensado pela inflação das taxas nos contratos vigentes”.

“As despesas com vendas, gerais e administrativas aumentaram principalmente como resultado do aumento dos custos de marketing e pesquisa e dos movimentos cambiais”, acrescentou a Liberty.

Durante o período, a F1 também pagou 125 milhões de dólares em dívida: “A dívida total atribuída ao Grupo Fórmula 1 diminuiu US $ 354 milhões durante o trimestre, principalmente como resultado do pagamento de conta. Durante o segundo trimestre, a F1 reembolsou US $ 125 em sua linha de crédito rotativo”, adicionou a Liberty Media.