Raikkonen diz que o DRS “não é uma ultrapassagem real”

Kimi Raikkonen afirmou que as ultrapassagens com o DRS “não são reais” e que as oportunidades de ultrapassagem dependem do traçado da pista.

É claro que alguns circuitos são mais difíceis de ultrapassar do que outros, em exemplo, Spa e Monza são mais fáceis do que Mônaco ou Hungaroring.

Para este final de semana da F-1 em Silverstone, uma zona de DRS foi descartada para o GP da Grã-Bretanha de 2019.

O DRS foi introduzido na F-1 em 2011 e, embora tenha facilitado as ultrapassagens, ainda há alegações sobre a “falsidade” da manobra com a asa aberta.

Segundo o Fomel1.de, Raikkonen, que fez sua estreia na F-1 em 2001, relembrou seus primeiros anos no esporte, dizendo: “Em números absolutos pode ter sido menos (ultrapassagens), mas com o DRS isso às vezes não é uma verdadeira ultrapassagem, você apenas passa.

“Tem tudo a ver com o layout da pista, e olhando para Spa, sempre tivemos boas corridas lá, e em algumas pistas, é assim que é (a dificuldade em ultrapassar).”

 

 

Confira os últimos vídeos do canal da F1MANIA no YouTube – Os CAMPEÕES da FÓRMULA E até a temporada quatro:

 

ePRIX da SUÍÇA | Melhores Momentos | 11ª etapa Fórmula E 2018/19:

 

Análise: Vettel CULPADO ou INOCENTE no GP do Canadá? partc. Sérgio Milani. Veja abaixo:

 

GP DO BRASIL 2020 será realizado no RIO DE JANEIRO, diz JAIR BOLSONARO:

 

Vídeo mostra o traçado do novo AUTÓDROMO de DEODORO no RIO DE JANEIRO

 

FÉRIAS F1MANIA | Pilotamos uma FERRARI 488 GTB no SPEEDVEGAS: