Problema de Giovinazzi no Q1 foi semelhante ao de Leclerc no Bahrein

A participação de Antonio Giovinazzi na qualificação para o Grande Prêmio da China, foi interrompida por um problema semelhante ao que afetou o piloto da Ferrari, Charles Leclerc, no Bahrein, há duas semanas.

Na sequência do que ocorreu com Leclerc, um problema em um cilindro lhe custou a vitória, ambas as equipes, Ferrari e Haas foram equipadas com uma nova especificação ECU antes dos treinos na China, na sexta-feira.

No entanto, devido a limitações de tempo na adaptação dos carros para uma instalação diferente, a Alfa Romeo optou por não levar a unidade revisada oferecida pela Ferrari para a China.

Giovinazzi perdeu um cilindro no início de sua primeira volta no Q1 e não voltou a correr.

Ele vai começar em 19º no grid, com um novo exemplar da unidade mais antiga, enquanto seu companheiro de equipe Kimi Raikkonen, vai continuar com a unidade que já completou as duas primeiras corridas.

“A Ferrari nos propôs a nova especificação, mas não tivemos tempo de instalá-la no carro”, disse Vasseur à Autosport.

“Tivemos o problema hoje, e vamos mudá-lo para amanhã, mas vamos manter a mesma especificação. Para Kimi, não vamos mudar a unidade para amanhã”.

“Pedimos desculpas a Antonio, e é 100% minha culpa”.

“Assumo 100% da responsabilidade porque a Ferrari nos propôs mudar isso”.

“É sempre fácil dizer depois, que poderia ter sido melhor, mas sabíamos que vir para a China e fazer a nova instalação também era arriscado.”

Giovinazzi já havia perdido o FP1 em Xangai, por um erro de instalação do motor, que não pôde ser corrigido a tempo de ele ir para a pista na sessão da manhã.

Vasseur reafirmou que o italiano, que sofreu um começo difícil em sua primeira temporada na F1, teve seu total apoio.

“Não é fácil, porque se você olhar para trás tivemos um problema no FP2 no Bahrein, e ele não conseguiu fazer uma volta, então tivemos o problema na FP1 aqui, novamente em seu carro”, disse Vasseur.

“Então hoje, foi um pouco demais”.

“Começamos e fizemos uma volta. Ele cruzou a linha, então pegou alguns caras saindo dos boxes, e o problema apareceu no final da primeira curva em sua primeira volta”.

“Nós somos 200% de apoio para Antonio. Eu sei o que ele é capaz de fazer, eu sei o que ele fez antes, eu vi todos os dias o que ele é capaz de fazer”.

“Não é óbvio até agora pela cronometragem, mas tenho certeza de que ele mostrará o quanto antes.”

Giovinazzi manteve-se otimista em relação às suas perspectivas para a corrida.

“Eu sei que amanhã a partir da última fila será difícil”, disse ele. “Veremos”.

“É uma pista onde podemos ultrapassar, por isso vamos tentar o nosso melhor”.

“Nossa meta ainda são os pontos. Como eu disse, é uma pista onde você pode ultrapassar”.

“Acho que temos um bom carro em ritmo da corrida. A corrida é longa, então você nunca sabe.”

A equipe também acredita que uma rajada de vento afetou Kimi Raikkonen no Q2, mas Vasseur disse que não era uma desculpa para o fracasso do finlandês em fazer o Q3 pela primeira vez em 2019.

Raikkonen relatou uma perda de potência no rádio, mas a equipe disse que sua queda inesperada na velocidade máxima, foi devido a uma rajada de vento, e não um problema técnico.

 

 

Confira os últimos vídeos do canal da F1MANIA no YouTube – Chegou o GP 1000 da Fórmula 1:

 

Vettel bate repetidas vezes no simulador em Xangai:

 

ePRIX DE SANYA | Melhores Momentos | FÓRMULA E 2018/19 – 6ª etapa

 

‘GAME OF ROMES’ – Fórmula E lança vídeo baseado na série de sucesso GAME OF THRONES

 

Fórmula 1 anuncia o Brasil como uma das sedes do “F1 Festival” em 2019

 

FÉRIAS F1MANIA | Pilotamos uma FERRARI 488 GTB no SPEEDVEGAS: