Novas regras (menos divulgadas) que você precisa saber antes da temporada 2019 da Fórmula 1

As novidades da temporada 2019 da Fórmula 1 vão muito além de novos pilotos, novas pinturas e novos patrocínios. Um conjunto de novas regras será introduzido nesta temporada – e você precisa conhecê-las para afiar seus palpites por aí – aumento do limite de combustível, lastro nos pilotos, novos capacetes e bandeira quadriculada luminosa são alguns exemplos das alterações para este ano.

A F1 se prepara para apresentar seus novos carros de 2019, com uma reformulação das regras aerodinâmicas obrigando as equipes produzirem asas dianteiras e traseiras completamente novas e maiores, além das laterais – as “barge board” – menores, assim como os dutos de freios.

Todos os esforços (aerodinâmicos) têm o objetivo de aumentar as chances de ultrapassagens na F1.

Uma mudança importante é a nova nomenclatura dos pneus, que agora variam do C1 ao C5 e apresentarão três cores: brancos, C1 e C2 (mais duros), amarelo, C3 (médio) e vermelhos, C4 e C5 (mais macios), com apenas três sendo  selecionados pela Pirelli para serem usados em cada final de semana de corrida.

Um pouco menos divulgada, a FIA também aprovou o aumento no limite de combustível, que passará para 110 kg, prometendo “pé no fundo” durante toda a corrida nas palavras do piloto da Haas, Kevin Magnussen.

Penalidades de Grid

As “penalidades de grid” também passaram por uma reavaliação para a temporada 2019 da F1.

Um dos resultados mais desagradáveis das atuais regras do motor são as muitas penalidades de grid para os pilotos que instalam peças novas, muitas delas obrigando-os a largar no final do grid.

A mudança deste ano terá grande efeito nas sessões de qualificação, com os pilotos que receberem penalidades que o coloquem no final do grid sendo alinhados de acordo com suas posições na sessão de qualificação, o que vai forçar os carros ficarem na pista para conseguirem melhores tempos.

Piloto e assento terão que pesar 80kg

Outra importante mudança trata-se do peso do piloto, com a FIA “ajudando” os mais pesados.

O peso total dos carros até então incluía o piloto, o que significava que as equipes eram beneficiadas por terem pilotos mais leves, podendo usar o peso faltante para os 743kg obrigatórios deste ano para distribuir lastros no carro para beneficiar seu desempenho.

Em 2019 o peso do piloto mais o seu assento será verificado no início das sessões e deve ser de 80 kg. O piloto que estiver abaixo desse limite deverá usar lastro dentro do seu cockpit.

Procedimentos de ultrapassagem e bandeira verde com Safety Car alterados

Nesta temporada os pilotos não poderão ultrapassar seus rivais antes da linha de chegada, uma vez que o Safety Car estiver retornando aos boxes.

Os pilotos terão que esperar até a linha de chegada após a relargada.  As bandeiras verdes na volta de retorno do Safety Car aos boxes também não serão mais exibidas. Elas só serão mostradas a partir da linha de chegada.

Limite de queima de óleo mais rigoroso

Em 2019, um novo limite de queima de óleo do motor será introduzido.

Com a alta taxa de desenvolvimentos dos atuais motores da F1 os níveis de eficiência térmica subiram de forma impressionante, e a briga para explorar novas áreas, incluindo a queima de óleo para aumentar a potência, também não ficou para trás.

Em 2019, uma nova cláusula nos regulamentos estipula que as equipes devem manter seus tanques de óleo auxiliares vazios durante a qualificação. Isso impedirá que as equipes queimem óleo extra no “modo festa” durante a fase final da classificação.

Jovens pilotos terão “tempo” para testar

Outra alteração da regra visa dar tempo de pista aos jovens pilotos.

Para cortar custos, as equipes têm sido, por vários anos, limitadas quanto ao número de pessoas que podem levar para os GPs.

Embora tenha funcionado bem, a consequência tem sido a relutância das equipes em usar os finais de semana para ajudar na contratação de novos pilotos, já que não podem perder o valioso número de pessoas na equipe.

Para a próxima temporada, haverá mais oportunidades para os juniores obterem experiência prática na pista, já que uma isenção para o limite de 60 pessoas por equipe foi acordada.

Serão concedidas seis participações por equipe durante o ano, embora nenhuma pessoa possa comparecer em mais de duas corridas nestas “isenções”. O que na prática significa que as equipes poderiam testar até três novos pilotos em duas sessões cada um.

Equipes não serão mais inspecionadas pela FIA antes dos treinos

Outra mudança para a próxima temporada pode afetar significativamente os resultados das corridas, com penalidades sendo aplicadas para aquelas que não cumprirem o regulamento.

A partir de 2019 as equipes passarão por uma autoinspeção antes dos treinos de sexta-feira – o que costumava ocorrer nas tardes das quintas-feiras quando as equipes faziam fila no pitlane para a inspeção da FIA.

Ao invés de serem inspecionadas pelo órgão, as equipes agora têm que apresentar uma declaração no dia anterior – 18 horas antes do início do primeiro treino livre – declarando que seus carros estão em total conformidade com os regulamentos. A equipe que perder o prazo não estará apta a competir.

Mas, mesmo que as equipes realizem suas próprias inspeções, a FIA tem o direito de inspecionar os carros em qualquer momento durante o final de semana, e os pilotos enfrentarão as mesmas checagens pós-sessão que antes para garantir que cumpram integralmente os regulamentos.

Pilotos que largam dos boxes poderão participar da volta de apresentação

Outra mudança acontecerá na volta de formação (ou apresentação) – os pilotos que largarem dos boxes poderão realizar a volta de apresentação.

Eles se juntarão ao fim do grid assim que o último carro passar pela saída do pit. No final da volta de apresentação este carro precisará entrar novamente nos boxes para largar da mesma maneira que era feito antes.

Novo capacete e luvas biométricas obrigatórias

Duas novas alterações para 2019 afetam diretamente os pilotos. O uso de luvas biométricas (que os pilotos já utilizam) foi formalmente exigida nas novas regulamentações esportivas, mas a mudança mais significativa é no capacete, já que um novo padrão de segurança está sendo introduzido para oferecer melhor proteção para a cabeça dos pilotos.

Baseados no aprendizado com a acidente de Felipe Massa na qualificação para o GP da Hungria em 2009, as novas dimensões da cobertura da testa com menor abertura da viseira permitem maiores níveis de proteção e melhor absorção da energia.

Bandeira quadriculada luminosa

A última, e não menos importante, mudança para 2019 será na bandeira quadriculada, após o erro grotesco no GP do Canadá do ano passado, quando a modelo Winnie Harlow deu a bandeira uma volta antes do final, levou a uma nova regra para encerrar as corridas em 2019.

Ao invés da tradicional bandeira quadriculada ser a única maneira oficial de terminar a corrida, um novo sinal luminoso de bandeira quadriculada acenderá na linha de chegada assim que a distância total da corrida for completada.

Novas regras esportivas da Fórmula 1 2019:

  • Limite de combustível passa ser de 110kg
  • Penalidades de grid suavizadas
  • Piloto e assento terão que pesar 80kg
  • Procedimentos de ultrapassagem e bandeira verde com Safety Car alterados
  • Limite de queima de óleo mais rigoroso
  • Jovens pilotos terão tempo para testar
  • Equipes não serão mais inspecionadas pela FIA antes dos treinos
  • Pilotos que largam dos boxes poderão participar da volta de apresentação
  • Novo capacete e luvas biométricas obrigatórias
  • Bandeira quadriculada luminosa

 

 

Confira os últimos vídeos do canal da F1MANIA no YouTube – “Pilotamos uma FERRARI 488 GTB no SPEEDVEGAS | FÉRIAS F1MANIA”:

 

EXTREME E | Corrida elétrica de SUVs será disputada nos cantos mais remotos do mundo | Entrevista com GIL DE FERRAN:

 

Confira os melhores momentos da Fórmula E em Santiago:

 

EQUIPES E PILOTOS | FORMULA E 2018/2019 | Campeonato ABB FIA Fórmula E

 

Assista ao “RESUMÃO” das novidades da F-E para temporada 2018/2019?