Grosjean afirma que as três melhores equipes serão as mesmas

Os pilotos da Haas, Romain Grosjean e Kevin Magnussen, saudaram a ambição do patrocinador da sua equipe, em atacar a Red Bull, mas reconheceram que o pódio ainda deve estar longe nessa temporada.

O abismo entre as três principais equipes, Mercedes, Ferrari e Red Bull, e o restante se tornou embaraçoso.

Apenas uma vez no ano passado, e novamente uma vez na temporada anterior, um piloto de uma equipe fora das três primeiras, apareceu no pódio, e ambas as corridas envolveram algumas circunstâncias esquisitas.

A Red Bull terminou em terceiro na geral em 2018, enquanto a Haas ficou em quinto, atrás da Renault.

William Storey, chefe do novo patrocinador Rich Energy, disse aos repórteres, que esperava desafiar a Red Bull, dentro e fora da pista.

Grosjean, que esteve no pódio no passado como piloto da Renault e da Lotus, disse que lutar pelo quarto lugar é o passo mais lógico, pelo menos até as regras mudarem em 2021.

“As três melhores equipes serão as mesmas”, disse o francês à Reuters. “No momento, parece que estamos fazendo uma corrida de 100 metros, mas algumas pessoas já estão começando 40 metros na frente, então não há chance de competir com elas.”

Magnussen, que começou sua carreira na McLaren com um surpreendente segundo lugar em sua estréia na Austrália em 2014, pareceu mais otimista.

“É ótimo ver que existe essa enorme ambição. Compartilhamos isso completamente”, disse ele à Reuters.

“Eu duvido que seremos sérios candidatos para posições no pódio de imediato, mas no ano passado nós terminamos em quarto e quinto algumas vezes, então não demora muito”.

“Não se sabe o que pode acontecer e você está no pódio”, acrescentou. “Isso é o que acontece com a Fórmula 1, você nunca sabe realmente”.

A Red Bull mudou para os motores Honda nesta temporada, com um ponto de interrogação sobre desempenho e confiabilidade, enquanto a Haas tem uma unidade de potência Ferrari em seu carro.

Guenther Steiner, diretor da equipe, disse que a presença da Rich, havia aumentado a pressão em uma equipe que antes se concentrava em promover o negócio de ferramentas da Haas.

“A pressão aumenta se você tem um patrocinador titular, porque tem responsabilidade sobre isso, mas podemos lidar com isso”, disse ele.

A Haas, que tem uma estreita parceria técnica com a Ferrari, fez sua estréia em 2016 e fez um bom progresso depois de terminar suas duas primeiras temporadas em oitavo lugar.

Em Cingapura no ano passado, Magnussen fez a primeira volta mais rápida da equipe.

“Queríamos chegar lá com as equipes competitivas e agora precisamos nos agarrar”, disse o dinamarquês. “E segurar isso significa que você precisa melhorar”, concluiu.

 

Confira os últimos vídeos do canal da F1MANIA no YouTube – “Pilotamos uma FERRARI 488 GTB no SPEEDVEGAS | FÉRIAS F1MANIA”:

 

EXTREME E | Corrida elétrica de SUVs será disputada nos cantos mais remotos do mundo | Entrevista com GIL DE FERRAN:

 

Confira os melhores momentos da Fórmula E em Santiago:

 

EQUIPES E PILOTOS | FORMULA E 2018/2019 | Campeonato ABB FIA Fórmula E

 

Assista ao “RESUMÃO” das novidades da F-E para temporada 2018/2019?