Brawn afirma que fabricantes de motores não querem concorrência

Ross Brawn acredita que os fabricantes de motores não querem concorrência quando se trata de fornecer motores.

No momento, Mercedes, Honda, Ferrari e Renault fornecem motores e o chefe da Mercedes, Toto Wolff, disse: “Quatro fabricantes são suficientes”.

Brawn deixou claro que não haverá novos fabricantes em 2021, quando as novas regras entrarem, no entanto, a porta fica entreaberta após este acordo.

“A ponte levadiça está em alta, os fabricantes de motores de hoje não querem um novo oponente”, disse Brawn ao site oficial da Fórmula 1.

“No entanto, entramos em um acordo”.

“Nós elaboramos regulamentos que prescrevem, novos participantes receberão apoio das empresas atualmente representadas no esporte”.

“Haverá tecnologia e componentes que precisam ser compartilhados, se necessário.”

O inglês afirmou que o passo não foi tão grande ou significativo como originalmente planejado, mas foi um progresso.

“Este não é o passo radical que propusemos”.

“No entanto, isso está indo na direção certa. Fomos capazes de deixar claro para os fabricantes de motores de hoje, que eles não podem simplesmente bater a porta atrás deles”.

“Se tivermos sérios investimentos de novos fabricantes de motores, devemos encontrar formas e meios de permitir a esses fabricantes a entrada na Fórmula 1”, concluiu Brawn.