Consórcio apoiado por Stroll adquire a Force India

Os administradores da equipe Force India na Fórmula 1 aceitaram uma oferta do grupo apoiado por Lawrence Stroll.

A Force India está em administração desde a sexta-feira anterior ao GP da Hungria, na tentativa de protegê-la contra a ameaça de uma ordem de execução baseada nas dívidas crescentes.

Foi confirmado na noite de terça-feira que um consórcio, liderado por Stroll, havia sido montado com a ajuda do diretor de operações da Force India, Otmar Szafnauer, e da alta cúpula da equipe.

Um acordo foi firmado com os administradores conjuntos, nomeados pela FRP Advisory, para devolver a equipe à solvência.

Os investidores de Stroll são: o empresário canadense Andre Desmarais, Jonathan Dudman da Monaco Sports and Management, o líder de negócios de moda John Idol, o investidor de telecomunicações John McCaw Jr, o especialista em finanças Michael de Picciotto e Silas Chou.

Os credores da Force India serão pagos integralmente, todos os 405 postos de trabalho da equipe foram mantidos e o financiamento garantido.

“Esse resultado garante o futuro da equipe Force India na Fórmula 1 e permitirá que nossa equipe de pilotos corra com todo o potencial”, disse Szafnauer.

Stroll esteve ligado ao investimento na Force India por algum tempo a necessidade de um novo proprietário apresentou uma oportunidade de se envolver mais diretamente.

Ele tem apoiado a Williams através do patrocínio a seu filho Lance, que é atualmente piloto da equipe britânica.

Agora que a oferta foi aceita, mais detalhes devem ser dados em breve, incluindo a finalização do contrato sobre os motores Mercedes que serão transferidos para a nova empresa.

A equipe deve dinheiro a vários credores, especialmente a Mercedes e o piloto Sergio Perez. Ela precisa que a mudança de propriedade seja concluída para que possa solicitar aos fornecedores a produção de peças atualizadas, o que será crucial para a briga da Force India no Mundial de Construtores.

A Force India atualmente ocupa o sexto lugar no Mundial, sete pontos atrás da Haas e 23 atrás da quarta colocada Renault.