Agag retruca comentários de Brawn: “F1 só poderá ser totalmente elétrica em 2039”

O CEO da Fórmula E, Alejandro Agag, respondeu à Ross Brawn afirmando que a Fórmula 1 precisaria de permissão da FE caso queira tornar-se elétrica nos próximos anos.

Ross Brawn, diretor esportivo da F1, afirmou que não há “nada que impeça” a categoria de tornar-se elétrica nas temporadas futuras.

“Se dentro de cinco ou 10 anos ou quando houver necessidade, desejo, desejarmos ter um tipo diferente de unidade de potência na Fórmula 1, nós o faremos”, disse Brawn ao F1 ‘Fan Voice’.

Mas Agag, que também é fundador da Fórmula E, disse que isso não seria possível devido ao acordo da sua série com a FIA.

“Ross disse que a Fórmula 1 poderia ser elétrica em 10 anos – e basicamente, eles não podem”, disse Agag para o site ‘Motorsport.com’.

“A Fórmula E tem uma licença exclusiva com a FIA por 25 temporadas, e nós fizemos apenas quatro. Assim, a primeira Fórmula 1 totalmente elétrica poderia ser apenas em 2039, se não renovarmos nosso contrato com a FIA, mas não vejo nenhum motivo para não renovarmos por um longo tempo.

“Temos exclusividade até pelo menos 2039 – então não haverá, por hora, F1 elétrica. Se eles quiserem falar comigo, é claro que é outra questão – estou sempre aberto para conversar com as pessoas.

“Mas em falar comigo não há como eles fazerem qualquer coisa ‘totalmente’ elétrica”.

Quando perguntando se havia interpretado os comentários de Brawn como a F1 sendo ameaçada pela FE, Agag afirmou: “Eu não acho que eles deveriam pensar assim.

“Eu acho que somos muito diferentes (as categorias, F1 e FE) e somos totalmente compatíveis.

“Não existe competição nenhuma, são séries totalmente compatíveis. Eu tenho uma grande admiração por Ross Brawn, mas neste caso ele simplesmente errou nas contas.”

Brawn também se referiu a FE como sendo uma “fórmula júnior e menor” comparada com a Fórmula 1 em termos de fãs e apela mundial, mas Agag afirmou que não considerou os comentários como sendo falta de respeito.

“Somos grandes admiradores da Fórmula 1”, disse Agag. “Somos grandes fãs e nunca mudaremos essa linha. Mas é interessante que esses comentários surjam agora porque a Fórmula E está crescendo muito rápido.

“Eu acho que faz muito sentido – depois de ver como a Fórmula E está crescendo, eu posso entender que algumas pessoas na Fórmula 1 estão pensando em ser totalmente elétricos. Até o próprio Bernie (Ecclestone) disse há alguns meses que a Fórmula 1 deveria ser totalmente elétrica.

“Mas o que eu entendo desses comentários é que basicamente pode haver a possibilidade da F1 ficar totalmente elétrica, mas claramente isso não será possível sem falar conosco porque temos exclusividade com a FIA.

“Eles poderiam fazer isso fora da FIA, mas eles não poderiam chama de Fórmula 1, porque a Fórmula 1 é um nome que pertence à FIA, então a coisa toda está bem amarrada.”