Teto orçamentário é o “único caminho” para a McLaren alcançar os três primeiros

O diretor da McLaren, Andreas Seidl, acredita que o teto orçamentário, é a “única maneira” de a McLaren poder competir novamente com os três primeiros.

Embora a revisão proposta para a Fórmula 1 em 2021 esteja progredindo muito lentamente, uma coisa que foi acordada é o teto orçamentário de US $ 175 milhões por temporada, que será implementado até pelo menos 2025.

A McLaren não consegue uma vitória desde 2012, enquanto o primeiro Campeonato Mundial de Lewis Hamilton em 2008, foi a última vez que a equipe do Woking conquistou este título.

Depois de sua fracassada parceria de motores com a Honda e suas próprias falhas, a McLaren está passando por uma enorme transição, com a chegada de Seidl como diretor da equipe como parte dela.

A equipe se estabeleceu em quarto lugar no Campeonato de Construtores, mas se eles quiserem subir mais, Seidl acredita que teria que ser feito sob o limite.

“É fato que nós, como equipe, claramente não alcançamos as possibilidades que temos, infraestrutura, orçamento, know-how”, disse Seidl à Autosport.

“Devemos ser melhores com o que temos. Não sou amigo de constantemente procurar desculpas dentro dos regulamentos ou diferenças orçamentárias”.

“No momento, meu foco é, antes de mais nada, liberar o potencial da equipe com as circunstâncias que temos”.

“O próximo passo é que os regulamentos de 2021 irão, esperançosamente, na direção certa”.

“Uma coisa é clara: se queremos ser competitivos no futuro e lutar com os outros, precisamos de condições de igualdade”.

“Para um time como nós, o teto orçamentário é a única maneira de podermos lutar novamente com os três grandes times.”

Seidl, que já teve experiência anterior com a Fórmula 1 na BMW, teve a opção de permanecer na Porsche e assumir o papel de supervisionar toda a operação de automobilismo.

Em vez disso, ele assumiu o trabalho na McLaren, e agora está focado em eventualmente levantá-los de volta ao topo do grid.

“Quando decidi vir para a McLaren, Zak (Brown, o CEO da empresa na F1), foi o primeiro a entrar em contato comigo”, disse Seidl.

“Foi imediatamente atraente para mim, me tornar o diretor da equipe McLaren”.

“Eu então tive outra conversa com os donos da equipe, e percebi que eles estavam realmente determinados a continuar investindo nos próximos anos, e tinham uma visão clara para voltar ao topo”.

“A partir desse ponto, foi uma decisão relativamente clara para mim aceitar o desafio”.

“Eu quero levar essa equipe de volta ao topo, passo a passo”.

“A McLaren passou por um período muito difícil nos últimos anos, com resultados muito ruins”.

“Com a experiência que ganhei em minha carreira, acho que posso contribuir muito para continuar essa tendência positiva que já começou no ano passado”, completou.

 

Receba as notícias da F1Mania pelo WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/IHEmXnwxu3JDk3pmRviZ7r

 

Confira os últimos vídeos do canal da F1MANIA no YouTube – ePRIX da SUÍÇA | Melhores Momentos | 11ª etapa Fórmula E 2018/19:

 

Análise: Vettel CULPADO ou INOCENTE no GP do Canadá? partc. Sérgio Milani. Veja abaixo:

 

GP DO BRASIL 2020 será realizado no RIO DE JANEIRO, diz JAIR BOLSONARO:

 

Vídeo mostra o traçado do novo AUTÓDROMO de DEODORO no RIO DE JANEIRO

 

FÉRIAS F1MANIA | Pilotamos uma FERRARI 488 GTB no SPEEDVEGAS: