Brasil completa 35 anos longe do calendário do Mundial de Rally

Em 82, País realizou pela última vez a competição, com vitória de dupla de mulheres

Um dos principais campeonatos de rally do mundo, o WRC já esteve presente no calendário do automobilismo brasileiro. Há exatos 35 anos, Michèle Mouton e Fabrizia Pons largavam rumo à vitória no Marlboro Rali do Brasil, a última vez em que a competição passou nossas terras. Era uma dupla de mulheres, com grande potencial, que marcou história no País, em 1982, em uma das duas vezes que fomos contemplados com a prova.

No começo da década de 80, o Brasil ficava cada vez mais forte nos ralis de regularidade, mas ainda tinha um campo enorme para ser explorado na modalidade específica do WRC, que é de velocidade. Com essa visão, o português Francisco Santos, que trabalhava na revista Autosport, enxergou no Brasil o potencial para sediar uma etapa do Mundial. E conseguiu, ao trazer a prova nos anos de 1981 e 82.

Um dos pilotos brasileiros inscritos na prova era o gaúcho Jorge Fleck (anos depois, já aposentado do rally e mais experiente, ficaria muito conhecido nas pistas como bicampeão da Fórmula Truck).

“O Brasil estava crescendo cada vez mais no rali e o Francisco Santos, junto com outro português chamado Mario Figueiredo, viu a possibilidade de trazer uma etapa do Mundial pra cá”, afirma Fleck.

Contudo, desorganização e alguns problemas marcaram as duas provas em território brasileiro. Além disso, um dos motivos que fizeram com que o País deixasse de frequentar o calendário do Mundial foi a destituição de Santos da posição de diretor de prova, uma semana antes da corrida de 82.

Naquele ano, a prova, que na verdade seria disputada na Argentina, foi transferida para cá e realizada com quatro especiais, totalizando 1.400 km em estradas de todos os tipos (asfalto, terra, lama, areia, pedras). Os carros alinharam na Via Dutra e terminaram no Rio de Janeiro, passando por Santa Isabel, Guararema, Santa Branca até Rio Claro.

No período em questão, a sensação era o Audi Quattro Turbo. A versão de série do cupê esportivo apareceu em 1980 com tração permanente nas quatro rodas, motor turbo de cinco cilindros, com 200 cv de potência, e capaz de atingir os 222 km/h.

Mesmo ainda longe de termos raízes mais fundas no esporte, podemos ver uma quantidade de fãs crescendo ano após ano, gerando mais interesse tanto nos torneios quanto na participação.

Para os fãs do esporte, o Campeonato Mundial de Rally desembarca na Alemanha, neste final de semana. O público brasileiro poderá acompanhar as emoções da competição, a mais disputada nos últimos anos, ao vivo, em transmissão na Red Bull TV, a partir das 6h50 deste sábado (19), pelo link https://www.redbull.tv/live/AP-1Q84GS5E51W11/fia-world-rally-championship