Safety Car tira chance de vitória de Thiago Camilo em Londrina

Largando em 12º na primeira corrida do domingo em Londrina, na quarta etapa da temporada 2018 da Stock Car, Thiago Camilo traçou como objetivo chegar até o 10º lugar, a pole position da Corrida 2 pelo sistema de grid invertido.  Não foi nada fácil cumprir a primeira parte do plano, pois o piloto da Ipiranga Mattheis trocou várias vezes de posições com Ricardo Zonta, que largou na sua frente, e Vitor Genz e Antônio Pizzonia, que vinham logo atrás. No fim a estratégia deu certo. Com um pit stop rápido e fazendo apenas a troca obrigatória de pneus, mas sem botar combustível, Camilo chegou em 10º, na corrida vencida por Max Wilson. Mas acionou doze vezes o botão de ultrapassagem, e só teria quatro acionamentos na Corrida 2. O público fez com que mais uma vez ele ganhasse o Hero Push, acionamento extra do botão de ultrapassagem disputado em votação via Facebook. Mas ainda era pouco. 

Pole position na Corrida 2, Thiago Camilo manteve o Chevrolet número 21 à frente de Cacá Bueno, que largou em segundo e forçou por fora. Daí até a 15ª volta, quando Pizzonia bateu em Denis Navarro e provocou a entrada do safety car, Camilo só fez aumentar a distância para Cacá Bueno. Eram três segundos que foram transformados em nada assim que a bandeira verde voltou a ser mostrada e foi aberta a janela de pit stops. Camilo foi o primeiro e entrar e ainda voltou à frente, mas depois que pilotos que usaram gastaram menos tempo botando combustível fizeram seus pits e voltaram à pista bem próximos, a vitória foi por água abaixo. Com o quarto lugar na corrida vencida por Lucas Di Grassi (12 pontos), mais o décimo na primeira prova (7 pontos), o piloto da Ipiranga teve sua melhor pontuação em 2018.

“Nossa estratégia estava dando certo, mandei o sapato no início da corrida e já tinha livrado três segundos para o Cacá. Como eu tinha usado muito o botão de ultrapassagem para chegar em décimo na primeira corrida, sabia que vários pilotos teriam mais pushes que eu, e sabia que faria uma parada longa porque precisava botar muito combustível, mas com tudo isso, se o safety car não tivesse entrado logo antes da abertura da janela de pit stops, eu teria vencido a corrida. Realmente hoje a vitória escapou por uma questão de sorte, mas saímos daqui certos de que a equipe está em evolução e vamos para a próxima corrida, em Santa Cruz do Sul, brigar pelas primeiras posições”, disse Camilo, que em 2017 foi pole position e venceu em Londrina.

Bia Figueiredo, companheira de Camilo na Ipiranga Mattheis, largou em 20º na primeira corrida, e logo na primeira volta foi atingida pelo carro de Galid Osman, que por sua vez também fora atingido. Recolheu o carro ao box, a equipe tentou consertar às pressas o carro número 3 e Bia largou no fim do pelotão na Corrida 2, cruzando a linha de chegada em 14º (os doze primeiros pontuam). “Era um fim de semana para marcar pontos. A gente vem evoluindo o carro, não chegamos no ponto em que podemos e vamos chegar, mas levar uma batida logo na largada da primeira é triste. Daqui a duas semanas tem mais e vamos buscar pontos”. A próxima etapa da Stock Car acontece dia 20 de maio em Santa Cruz do Sul (RS)