Rubens Barrichello terá Augusto Farfus como dupla para abertura da Stock

Campeonato terá início em março, com a já tradicional corrida de duplas, em Curitiba. Campeão da temporada 2014 correrá com o mesmo piloto do ano de seu primeiro título

Existe sorte no automobilismo? Se a resposta para essa pergunta for afirmativa, então Rubens Barrichello, piloto da Medley Full Time na Stock Car, já garantiu o seu amuleto para essa temporada. Na já tradicional corrida em duplas que abre o campeonato, no dia 6 de março, ele dividirá seu cockpit com Augusto Farfus, mesmo parceiro de 2014, ano de seu primeiro título na categoria.

A prova especial marca a última do Autódromo Internacional de Curitiba, que será demolido para dar lugar a um empreendimento comercial. E o circuito deixará saudades para Barrichello, já que foi nessa pista que o paulistano ergueu o troféu da Stock.

Mas o traçado do Sul do país não é desconhecido para Farfus. O piloto da DTM (categoria de turismo da Alemanha) é curitibano, e voltará ao local onde começou sua carreira no automobilismo.

– É um prazer poder participar novamente da corrida de duplas com o Rubens, um dos pilotos brasileiros com maior destaque no cenário mundial. Também será muito especial por correr em casa, onde já venci no WTCC, e provavelmente será a última chance que terei de correr lá, antes do encerramento das atividades no autódromo – comentou Farfus.

Na temporada 2014, os dois terminaram a prova em duplas, em Interlagos (SP), na nona colocação, com o convidado acertando a volta mais rápida do dia. Na sequência do ano, seis pódios (duas vitórias) colocaram Barrichello no topo da classificação, 10,5 pontos à frente de Átila Abreu.

– É uma oportunidade única e importante para mim estar no Brasil, na principal categoria nacional, em um carro competitivo, onde poderemos brigar pela vitória, e quem sabe, poder ajudar o Rubens no caminho para seu segundo título – completou o convidado.

Farfus, de 32 anos, não é alheio às disputas em carros como o da Stock Car. Entre 2005 e 2010, ele guiou os carros da Alfa Romeo e BMW no WTCC (mundial de turismo), fechando o ano duas vezes em terceiro e outras duas em quarto. Pela DTM, desde 2012, foi o segundo melhor em 2013, também pela BMW.

– O Farfus é um piloto com um talento fora do normal, e me sinto muito honrado em dividir o carro 111 com ele novamente. E além de ser um bom amigo, vai guiar em uma pista que é a casa dele, então, me sinto muito tranquilo e entusiasmado por estar com a gente – disse Rubinho.