Marcos Gomes vence a Corrida de Duplas com Antonio Pizzonia

Ano passado em Goiânia o pódio da Corrida de Duplas teve Ricardo Maurício, Marcos Gomes e Allam Khodair com seus convidados. E no início da tarde deste domingo (6), na despedida do Autódromo Internacional de Curitiba, o trio mais uma vez subiu nos degraus mais cobiçados do final de semana – desta vez em ordem inversa.

Em uma corrida em que a experiência e a agressividade dos convidados fez a diferença, a Corrida de Duplas, abertura da temporada 2016 da Stock Car, teve no alto do pódio justamente o atual campeão da categoria. Marcos Gomes preferiu a experiência de Antonio Pizzonia com o carro e a aposta deu certo na Voxx Racing.

Mesmo largando da quinta posição, Gomes escalou o pelotão da frente e após a troca de pilotos Pizzonia deu o bote para cima de Guilherme Salas – parceiro de Ricardo Maurício, que largou da pole-position. O duo da Eurofarma-RC fechou a prova em terceiro, atrás de Allam Khodair e do português Antonio Félix da Costa. Felipe Fraga/Rodrigo Sperafico, dupla vencedora da primeira edição do evento em 2014, terminou a prova na quarta posição mas foi punida com o acréscimo de 20 segundos no tempo de corrida por incidente com Daniel Serra. Assim, Fraga caiu para a 16ª posição, enquanto Serra e Danilo Dirani ficaram com o quarto lugar. Ricardo Zonta e Laurens Vanthoor fecharam os cinco primeiros.

Outras duplas que estavam entre as protagonistas da prova acabaram não tendo um final tão positivo quanto o esperado. Rubens Barrichello e Augusto Farfus, que chegaram a liderar a corrida, pararam a duas voltas do final quando Farfus foi obrigado a cumprir um drive-through por atitude anti-desportiva. O piloto que corre regulamente no DTM havia dado um toque em Lucas di Grassi na curva 2, o que provocou a punição. Di Grassi, mais uma vez convidado de Thiago Camilo, também fazia boa prova, mas perdeu rendimento no final. Na última volta, um problema no pneu relegou o piloto do Mundial de Endurance e da Fórmula E à 15ª posição, depois de ter andado entre os líderes e de Camilo ter registrado a melhor volta da prova.

Para Marcos Gomes, os seis pontos da vitória na Corrida de Duplas são extremamente positivos para o início do campeonato – só os seis primeiros pontuaram. “Ontem eu fui mal na classificação. Não dormi bem, chateado comigo mesmo, mas hoje conseguimos dar a volta por cima. Fiz um bom início de corrida e depois o Pizzonia fez um trabalho excepcional. Ele foi para cima, passou o líder e depois administrou os pneus, que já estavam bem gastos. É um resultado excelente para a equipe e espero que consigamos manter assim até o final para brigar pelo título de novo”, afirmou.

Para Pizzonia, que ano passado terminou o ano em ritmo de despedida da categoria, foi um belo retorno. “Pena que é uma volta tão curta, de uma corrida só. Não poderia ter sido melhor, e só tenho a agradecer o convite do Marquinhos e pela confiança no meu trabalho. Era uma responsabilidade muito grande, dividir o carro com o atual campeão da categoria na melhor equipe do último ano. Deu tudo certo. Estou feliz em poder ajudar”, disse.

Em segundo lugar repetindo o pódio e o convidado de 2015, Allam Khodair destacou o sentimento misto pelo bom resultado e pela despedida do Autódromo de Curitiba, que em julho encerrará definitivamente suas atividades. “É uma felicidade este resultado, mas também uma tristeza me despedir de um autódromo tão tradicional como este. Minha primeira corrida de carros foi aqui, e cheguei em segundo também”, lembrou.

“Acertamos novamente na escolha do (Antonio) Félix, um cara que além de rápido traz muita harmonia ao box. Consegui fazer uma boa largada, economizei bastante no push para que ele tivesse no final. O resultado foi ótimo e agora temos de focar no campeonato”, completou.

Antonio Félix da Costa foi, autor de uma das mais belas ultrapassagens da corrida. Colado em Guilherme Salas na reta principal, ele deu um verdadeiro drible no adversário atacando primeiro por fora e depois jogando para o lado de dentro. “Sou português como o Cristiano Ronaldo, pois”, riu. “Eu tinha que surpreender, porque com o push a ultrapassagem fica muito óbvia: o cara vai para dentro para defender e você tenta por fora. Então eu fingi que ia atacar por fora e no final acabei por dentro. Acho que ele arriscou um pouco mais e na freada chegamos a nos tocar, mas ficou tudo bem. Estou muito satisfeito com o resultado”, falou o português.

Ricardo Maurício partiu da pole position e manteve-se em primeiro até a parada para troca de pilotos e reabastecimento. No entanto, a liderança de Guilherme Salas durou pouco. Depois que Pizzonia o ultrapassou, Guilherme e Antonio Félix da Costa protagonizaram uma das disputas mais eletrizantes da corrida. Assim, Maurício e Salas fecharam o pódio.

“Foi um resultado excelente. Uma corrida que tinha muita gente com mais experiência que ele”, falou Ricardo Maurício, referindo-se ao parceiro Guilherme Salas. “Desde o começo estávamos sem o retrovisor do lado direito, que havia quebrado. Acabamos improvisando, mas nesta pista você realmente precisa dele para se defender, e foi exatamente pelo lado que fomos ultrapassados pelo Félix da Costa. De qualquer forma, este começo de ano mostrou que estamos com um carro competitivo, o que é importante. Claro que a vitória seria muito bom, mas eu queria parabenizar o Salas, que andou bem o fim de semana inteiro. Ele foi exemplar, se adaptou rápido, mostrou-se veloz desde a quinta-feira e foi muito bem”, elogiou.

Destaque do ano passado na Copa Petrobras de Marcas, foi a segunda participação de Salas na Corrida de Duplas – ano passado ele havia sido convidado por Popó Bueno e havia conseguido um terceiro lugar no grid. O piloto de Jundiaí (SP) espera que o resultado obtido neste domingo ajude no prosseguimento de sua carreira. “Foi muito bom, até mesmo para o meu futuro. Agora vamos ver o que será este ano. O objetivo é conseguir alguma coisa na Stock Car”, disse.

Átila Abreu e Nelsinho Piquet, que largaram da última colocação, fizeram espetacular recuperação para terminar em sexto. Vitor Genz/David Muffato, Lucas Foresti/Luiz Razia, Diego Nunes/Dennis Dirani e Rafael Suzuki/Franco Vivian fecharam os dez primeiros.

A Stock Car se despede em definitivo do Autódromo de Curitiba e volta à carga em pouco mais de um mês com a segunda etapa da temporada – a primeira rodada dupla – no circuito do Velopark, em Nova Santa Rita (RS), no dia 10 de abril.

Resultado da Corrida de Duplas*
1-) 80 Marcos Gomes/Antonio Pizzonia (Voxx Racing Team) – 46 voltas em 1h06min42s638 (média de 152.9 km/h)
2-) 18 Allam Khodair/Antonio F. Costa (Full Time Sports) – a 1s398
3-) 90 Ricardo Mauricio/Guilherme Salas (Eurofarma RC) – 2s149
4-) 29 Daniel Serra/Danilo Dirani (Red Bull Racing) – a 15s920
5-) 10 Ricardo Zonta/Laurens Vanthoor (Shell Racing) – a 17s271
6-) 51 Átila Abreu/Nelson Piquet Jr (Shell Racing) – a 17s947
7-) 46 Vitor Genz/David Muffato (Eisenbahn Racing Team) – a 18a348
8-) 12 Lucas Foresti/Luiz Razia (Full Time-ProGP) – a 18a731
9-) 70 Diego Nunes/Dennis Dirani (União Química Racing) – a 19s320
10-) 8 Rafael Suzuki/Franco Vivian (Vogel Motorsport) – a 23s034
11-) 28 Galid Osman/Damián Fineschi (Ipiranga-RCM) – a 23s237
12-) 5 Denis Navarro/Felipe Maluhy (Vogel Motorsport) – a 6s681
13-) 110 Felipe Lapenna/Marco Cozzi (Hot Car Competições) – a 29s710
14-) 21 Thiago Camilo/Lucas Di Grassi (Ipiranga-RCM) – a 30s236
15-) 45 Fabio Carbone/Vicente Orige (Mico’s Racing) – a 31s269
16-) 88 Felipe Fraga/Rodrigo Sperafico (Voxx Racing Team) – a 12s394**
17-) 74 Popó Bueno/Beto Gresse (Cavaleiro Racing) – a 33s054
18-) 65 Max Wilson/Vitor Meira (Eurofarma RC) – a 39s52s
19-) 6 Alceu Feldman/Tarso Marques (Mico’s Racing) – a 44.749
20-) 111 Rubens Barrichello/Augusto Farfus (Full Time Sports) – a 3 voltas
21-) 66 Felipe Guimarães/Duda Pamplona (Full Time-ProGP) – a 6 voltas
22-) 77 Valdeno Brito/Maxime Martin (TMG Motorsport) – a 6 voltas**
23-) 26 Raphael Abbate/Nicolas Costa (Hot Car Competições) – a 7 voltas

NÃO COMPLETARAM
24-) 1 Thiago Marques/Cesar Ramos (RZ Motorsport) – a 13 voltas
25-) 7 Beto Cavaleiro/Sergio Jimenez (Cavaleiro Racing) – a 14 voltas
26-) 4 Julio Campos/Allan Heillmeister (C2 Team) – a 17 voltas
27-) 0 Cacá Bueno/Ricardo Sperafico (Red Bull Racing) – a 17 voltas**
28-) 9 Guga Lima/Tuka Rocha (TMG Motorsport) – a 18 voltas
29-) 83 Gabriel Casagrande/Marcio Campos (C2 Team) – a 23 voltas
30-) 3 Bia Figueiredo/Beto Monteiro (União Química Racing) – a 27 voltas
31-) 14 Luciano Burti/Felipe Giaffone (RZ Motorsport) – a 43 voltas
32-) 63 Nestor Girolami/Franco Girolami (Eisenbahn Racing Team) – a 43 voltas

MELHOR VOLTA: Thiago Camilo/Lucas Di Grassi (21), 1:20.401 (165,4 km/h)

** #0 e #77 punidos com a perda de 20 segundos no tempo total de prova por irregularidade no procedimento de pit stop
*Resultados sujeitos a verificações técnicas/desportivas