Eurofarma-RC marca pontos com Ricardo Maurício e Guilherme Salas

A primeira etapa da temporada 2016, e última no autódromo de Curitiba, teve todos os principais elementos das grandes corridas: disputa acirrada, toques, estratégia de equipe e principalmente, elementos surpresas que ampliam ainda mais a imprevisibilidade do resultado final. No caso da corrida em duplas, formato escolhido pela organização para abrir o campeonato, é ainda mais desafiador, pois reúne pilotos titulares e convidados na busca pelo título da prova. “O tempo de treino é curto e a adaptação tem que ser rápida”, explica o chefe da equipe Eurofarma-RC, Rosinei Campos.

E os convidados da Eurofarma-RC foram impecáveis. Vitor Meira, escolhido por Max Wilson para a divisão do bólido acumula experiência dentro do Stock Car. Já foi piloto titular da categoria e por anos, brilhou na Fórmula Indy. Já Guilherme Salas, de apenas 21 anos, pilotou o V8 pela segunda vez na carreira, fez um belo trabalho e junto com o bicampeão conquistou a pole position da prova. “Ele é muito veloz”, comentou Ricardo após a classificação.

Logo no início da corrida, um objeto atingiu o retrovisor direito do carro de Ricardo Maurício. Na categoria desde 2006, conseguiu se defender das investidas de Thiago Camilo pela primeira posição e aos 30 minutos de prova, entregou o carro para Guilherme Salas correr os minutos finais. Sem visibilidade, com o carro mais quente e pneus desgastados, Salas duelou com Felix Costa para manter a liderança, chegou a sair da pista duas vezes, mas se manteve firme, chegando ao pódio em terceiro lugar. “Claro que a vitória é melhor, mas corrida é assim. O retrovisor fez falta porque dificulta a defesa, mas, o importante é que conseguimos manter o pódio e pontuar”, analisa. “São muitos competidores, alguns com o dobro da idade e experiência do Salas, ele foi excelente”, elogia Ricardo Maurício que o resultado marcou os 3 primeiros pontos da temporada.

Max Wilson foi o primeiro da equipe a entrar no Box. Meira assumiu o volante e voou para ganhar mais posições. Numa ultrapassagem em cima de Vanthoor que fazia dupla com Ricardo Zonta foi punido pela organização. “Tentei ultrapassar por fora, mas fiquei espremido entre os carros e a dividida foi um pouco mais difícil. Eles entenderam que eu poderia ter evitado o toque e por isso houve a punição”, explica. Vitor Meira teve que pagar um drive through e terminou na décima oitava posição. “Fomos bem, gosto muito do Vitor, é um grande piloto”, diz Max Wilson.

A análise da equipe é de um fim de semana produtivo, com bom desempenho do carro e a revelação de um novo talento para o automobilismo nacional. “Quem pilota sabe o quanto vencer é difícil, por isso, o que vale é o todo. Sou muito grato ao que o Salas fez por nós desde quarta-feira, foi um grande prazer trabalhar com ele e tenho certeza de que muitas oportunidades ainda vão surgir esse ano”, declara Ricardo Maurício. “Eu é que agradeço. Trabalhar com a Eurofarma-RC foi como ganhar um presente. O grau de profissionalismo de todos os envolvidos é altíssimo e saio daqui ainda mais forte para enfrentar todos os desafios que ainda estão por vir”, diz Salas. Vitor Meira também fez seu agradecimento. “Fiquei muito feliz em voltar para a Stock Car depois de um ano fora do carro. O Max não é apenas um dos melhores pilotos do grid, é ainda um das melhores pessoas que conheço. À ele e toda a equipe, minha gratidão por esse fim de semana tão bom”.

Agora, a competição segue o ritmo normal, com rodadas duplas até setembro, quando acontece a tradicional Corrida do Milhão. A próxima parada é Nova Santa Rita-RS, onde a categoria disputará a segunda etapa do ano. A corrida está marcada para o dia 10 de abril.