Augusto Farfus completa estreia na Stock Car com 7º lugar em Interlagos

Correndo pela Hero Motorsports, curitibano fechou sua primeira participação solo no top-10. Na grande final, Daniel Serra sagrou-se campeão da temporada

A etapa decisiva da temporada 2017 da Stock Car em Interlagos teve Augusto Farfus como novidade do grid. O piloto do DTM estreou como piloto titular da principal categoria do automobilismo brasileiro, correndo pela Hero Motorsports no carro #544, e fechou o domingo com um bom resultado. Após largar em 9º, o curitibano fez uma corrida consistente e ficou com o 7º lugar entre os 32 pilotos.

Com arquibancadas lotadas para acompanhar a decisão do título, Ricardo Maurício largou na pole position e venceu a disputa. Com o 3º lugar, Daniel Serra sagrou-se Campeão inédito da Stock Car – repetindo os feitos de seu pai Chico Serra, em 1999, 2000 e 2001.

Os boxes da Hero Motorsports em Interlagos ainda receberam uma visita especial. O goleiro Cássio – Campeão Brasileiro pelo Corinthians em 2017 -, acompanhou a visitação de boxes e conheceu de perto o carro da Stock Car. Ele viu também Farfus e Diego Nunes, os dois pilotos da Hero Motorsports, premiados com o Hero Push – que, através da votação popular, dava um acionamento a mais do botão de ultrapassagem.

Farfus largou em 9º lugar e conseguiu ganhar posições no início da prova com ritmo forte. Na segunda parte da prova, o piloto teve algumas dificuldades com o motor, mas conseguiu se manter no pelotão da frente e cruzou a linha de chegada em 7º após 24 voltas. Augusto destacou o bom trabalho ao longo da semana com a equipe, e mostrou-se satisfeito com o resultado final.

Agora, Farfus volta para a Europa, onde dá sequência aos preparativos para sua temporada 2018 com a BMW.

Augusto Farfus:

“Saio daqui muito feliz, o 7º lugar foi uma maneira bacana de terminar minha participação na Stock Car. Durante o fim de semana, a gente andou sempre entre os primeiros, com um ritmo muito competitivo. Interlagos é uma prova de fogo, e essa é a última prova do ano, todo mundo quer mostrar serviço, ninguém economiza nada. Na corrida, a partir das 10ª volta, o motor começou a falhar um pouco, e isso nos fez ficar para trás, mas vínhamos forte, estava em 6º antes no pit-stop. Mas foi uma experiência fantástica, tenho de agradecer a Hero, e espero voltar o mais rápido possível”.