André Negrão recebe vitória da LMP2 em Le Mans, após exclusão da G-Drive

Foram excluídos das 24 Horas de Le Mans, por uma infração técnica, o carro vencedor da classe LMP2 nº 26 G-Drive juntamente com o nº 28 TDS Racing.

De acordo com uma decisão dos comissários, ambos os carros LMP2, que haviam terminado em primeiro e quarto na classe, apresentaram irregularidades no restritor de combustível, que criou um fluxo significativamente mais rápido.

Com a desclassificação, o carro da Signatech Alpine A460 Gibson nº 36 de Nicolas Lapierre, Pierre Thiriet e de André Negrão, recebe a vitória da classe LMP2.

De acordo com dados do parceiro oficial de cronometragem do WEC, Alkamel Systems, os carros da G-Drive foram em média de 6 a 8 segundos mais rápidos durante cada pit stop em comparação com os concorrentes. Ao contrário das classes LMP1, GTE-Pro e GTE-Am, a categoria LMP2 não possui um tempo mínimo de reabastecimento.

As exclusões colocam provisoriamente o nº 39 Graff-SO24 Oreca de Vincent Capillaire, Jonathan Hirschi e Tristan Gommendy em segundo lugar na categoria, com Juan Pablo Montoya, Will Owen e Hugo de Sadeleer nº 32 da United Autosports Ligier JS P217 Gibson em terceiro.

A G-Drive/TDS planeja recorrer da decisão e contesta que nada nos regulamentos proíba a adição de outras partes no mecanismo de reabastecimento.