Equipes da F2 devem iniciar os testes dos novos motores e embreagens

A Fórmula 2 deve iniciar nas próximas semanas os testes para resolver os problemas de largada, quando devem receber novos motores e embreagens.

Durante as duas últimas rodadas no Red Bull Ring e em Silverstone, as corridas F2 começaram atrás do safety car devido aos problemas com a embreagem que marcaram as corridas anteriores e deixaram muitos pilotos parados na largada.

Embora a F2 tenha trazido atualizações para a embreagem, outro problema específico foi diagnosticado aumentando a probabilidade de uma parada.

Há também problemas de confiabilidade do motor com a velocidade em linha reta e o motor do acelerador, ambos com os quais a ‘Mecachrome’ está trabalhando.

Todos os 20 motores foram recolhidos após o evento de Silverstone, com cada equipe pronta para receber um motor atualizado, embreagem e um conjunto de pneus supermacios, na próxima semana para 100 km de treinos em um local de sua escolha.

“A ideia é voltar ao início normal para Budapeste”, afirmou o CEO da F2, Bruno Michel.

“A principal coisa que notamos é que temos algo no motor porque não temos torque suficiente no início do ponto de partida, o que é complicado.

“Provavelmente o pior lugar que tivemos foi Le Castellet [Paul Ricard], porque a aderência era enorme, tínhamos pneus supersoft e ressurgiu”.

Ele acrescentou: “O Mecachrome vai colocar todos os motores no dyno e checá-los, fazer algumas coisas neles. Trabalharemos no software para ajudar com o torque no momento do ponto de ataque.

“Estamos fazendo uma modificação na embreagem. Temos trabalhado com o fornecedor da embreagem para ter menos atrito na embreagem no começo. ”

A F2 executará seu carro de teste em Magny Cours e Paul Ricard antes da Hungria, e confirmou que vai realizar um sorteio para saber para distribuição dos motores.

“Tenho um alto nível de confiança nas mudanças que foram feitas”, acrescentou Charlie Whiting, da FIA.

“Vamos limitar a quantidade de quilometragem que eles podem fazer a 100 quilômetros e teremos gravações completas de exatamente o que eles fazem para não darem voltas. Nós apenas queremos que eles testem”.

“Então, é isso que cada equipe terá permissão para fazer antes de chegar à Hungria para garantir que tudo esteja funcionando conforme o esperado e que eles tenham tempo de sobra para praticá-la”.