Wickens culpa IndyCar e Rossi por acidente que lhe tirou a vitória em São Petersburgo

Robert Wickens, piloto da SPM, culpou a relargada inconsistente de Alexander Rossi e da IndyCar depois de perder a vitória no GP de São Petersburgo.

Wickens largou na pole e liderou 60 das 110 voltas da corrida que apresentou oito bandeiras amarelas durante sua duração.

Na relargada da sétima bandeira amarela, Wickens manteve-se no traçado permitindo que Rossi colocasse por dentro da Curva 1. Rossi acabou espalhando e tocou de lado em Wickens, fazendo o piloto da SPM rodar.

Wickens culpou o procedimento de relargada da IndyCar mas também Rossi pelo acidente. “Eu não sei o que Indy estava fazendo realmente, mas nunca apagou as luzes do carro (de segurança, antes da relargada).

“Eles fizeram um procedimento completamente diferente do que eles fizeram nos outros procedimentos de bandeira amarela durante todo o dia.

“Como líder, não tive a oportunidade de controlar o ritmo porque estávamos no mesmo ritmo e ele (carro de segurança) entrou nos boxes. Então eu quero uma explicação sobre isso.”

A IndyCar falou ao site ‘Autosport.com’ que, enquanto as luzes do Safety Car permaneceram acesas, a organização comunicou todos os times pelo rádio sobre a relargada e que o ritmo do carro era o usual.

Wickens acrescentou que Rossi freou muito tarde depois da relargada.

“Defendi um pouco, mas então percebi que se tentasse teríamos batido, então eu abri, deixei ele entrar e lhe dei o espaço suficiente para vir por dentro.

“Do meu ponto de vista, ele freou muito tarde, a pista estava muito suja fora do traçado. Uma pena não ir ao pódio, acabei no muro”.