Pipo Derani completa com sucesso seu primeiro teste na Indy

Após seu primeiro teste com um carro de Fórmula Indy, nesta quarta-feira (dia 1), em Sebring, na Flórida (EUA), o brasileiro Pipo Derani conta como foi o seu dia com a equipe Schmidt Peterson.

O piloto, que tem sido um dos nomes de destaque nas corridas de endurance nos dois últimos anos, foi convidado para andar com a equipe e realizou um dia completo de testes de desenvolvimento.

Confira abaixo as impressões do brasileiro.

Como foi seu primeiro teste com um Fórmula Indy em Sebring com a SPM?
“Foi muito bom. Foi interessante voltar a pilotar um monoposto pela primeira vez em quase três anos e especialmente um carro da Indy.
Começamos cedo e tive inicialmente uma saída de 10 voltas e consegui aumentar a velocidade rapidamente. Depois começamos a trabalhar imediatamente no carro e foi muito bom, já que a equipe obviamente confiou no que eu estava fazendo neste estágio inicial, então pudemos começar o trabalho de acerto do carro.
O carro é obviamente rápido, mas tendo pilotado um carro da LMP1 recentemente não demorou muito para eu me acostumar e, na verdade, isso me preparou bem, especialmente na capacidade de frenagem e níveis de aderência geral. A falta de direção elétrica é imediatamente aparente, o que é bom já que dá um elemento físico extra para a pilotagem.
Foi um dia cheio e eu quase não saí do cockpit do começo ao final. Estou feliz por ter ajudado a equipe com algumas mudanças de acerto antes de St. Petersburg.”

Conte um pouco como surgiu a chance de testar com a Schmidt Peterson.
“Eu tive a oportunidade graças ao Ed (Brown) na Patrón, que conhece o Sam (Schmidt) muito bem. O Ed sempre disse que eu deveria experimentar um Fórmula Indy, então foi uma recomendação que foi muito boa para mim e sei que isso não acontece com frequência na carreira de um piloto. Eu também testei com o Sam na Indy Lights alguns anos atrás. Ele parece gostar de pilotos que também corram de carros esportivos e têm se destacado.
Sou muito grato pela oportunidade de testar com a SPM e gostaria de agradecer ao Sam e ao Ed.”

Você teria interesse em fazer algumas corridas da Indy este ano?
“Ainda é cedo e foi apenas um teste, mas isso abriu uma nova porta e me deu a compreensão do que é necessário para pilotar estes carros.
Sou jovem aos 23 anos para correr de carros esportivos e monopostos, então vou olhar as oportunidades e pensar com cuidado sobre o que eu poderia fazer caso tivesse uma oportunidade certa na Fórmula Indy.
Tenho meus compromissos com a Ford Chip Ganassi e a Tequila Patrón Racing nesta temporada, então tenho de dar 100% da minha concentração a estes campeonatos. Mas se tivesse uma oportunidade certa para correr na Indy, com certeza, eu iria considerar seriamente.
De onde estou agora, eu adoraria correr com estes carros, mas teria de ser na hora certa e com a preparação correta.
Sou um piloto profissional e tenho muita sorte no sentido de ter esses tipos de oportunidades para considerar. Acredito que deveria ser um programa de longo prazo, com boa continuidade e estabilidade e não apenas uma corrida aqui e ali.”

Pra onde você vê sua carreira seguindo: carros esportivos ou monopostos?
“Primeiramente, eu amo todos os tipos de corridas e onde estou agora eu estou feliz, porque o nível de disputa dos carros esportivos é muito alto. Nas últimas três temporadas eu consegui fazer um bom nome no endurance, o que me trouxe oportunidades como esta e também o meu teste na LMP1 em novembro passado com a Toyota GAZOO Racing.
Se a chance de pilotar um Fórmula Indy vier eu adoraria correr lá, porque é outra categoria extremamente profissional.
Agora, tendo essa oportunidade de testar, me fez perceber que talvez ainda haja espaço para a minha carreira na Indy. No entanto, como eu disse, eu levo minha carreira no endurance muito a sério e eu sempre quero correr lá, é meu principal objetivo agora.
Eu quero adicionar o sucesso de Le Mans e do WEC aos meus títulos em Daytona e Sebring no futuro. Se você olhar pilotos como Sebastien Bourdais e Simon Pagenaud, eles mostraram que você pode ter disputas em ambas as categorias e fazer uma boa carreira, sendo rápido e versátil.”

Quais os próximos compromissos na sua agenda para 2017?
“Foi ficar aqui na Flórida e me preparar para as 12 Horas de Sebring, onde a Tequila Patrón defende seu título do ano passado.
Depois, irei para a Europa para o meu primeiro teste com o Ford GT LMGTE Pro, o que será bom demais. No ano passado, eu pilotei vários tipos de carro da LMP1 e LMP2. GT3 e agora Indy, então são grandes experiências para um piloto.
Depois estarei me preparando para a minha primeira etapa no FIA WEC com a Ford Chip Ganassi Racing em Silverstone no meio de abril. Será um ano realmente interessante, onde terei o gosto de pilotar para uma grande montadora.
Acho que com 23 anos é o tempo perfeito na minha carreira para ter essas experiências, então posso continuar meu progresso como um piloto profissional.”