Dixon testa o “aeroscreen” em Phoenix, a proteção de cockpit proposta pela IndyCar

O novo “aeroscreen” da IndyCar esteve pela primeira vez na pista durante os testes em Phoenix na quinta-feira, com o tetracampeão Scott Dixon afirmando ter tido boas impressões iniciais apesar de ajustes que deveriam ser feitos antes de uma implementação completa.

A espécie de “para-brisa” é feito de uma material transparente patenteado pela empresa americana PPG chamado Opticor, mesmo material usado para fazer janelas de aviões.

Dixon minimizou as preocupações com a curvatura do ‘aeroscreen’ em causar distorções visuais para o piloto.

“Você tem uma sensação diferente ao olhar para algo tão grosso, mas pensei que seria pior em termos de distorção, mas não notei nada assim”.

O piloto da Chip Ganassi Racing destacou dois pontos importantes para serem avaliados.

“A coisa mais entranha é que fica muito silencioso. Você não sente o ambiente, o carro fica muito suave, parece que você está pilotando um carro luxuoso”, acrescentou Dixon.

“Mas faz muito calor! Precisamos de um pouco de ar fresco lá, porque não recebemos mais fluxo de ar através do carro.

“Dou os parabéns (para a IndyCar e PPG), mas definitivamente existem coisas em que podemos melhorar e melhorar”.

A IndyCar ainda não definiu quando o dispositivo será introduzido, mas acredita-se que aconteça ser antes do final da temporada de 2018.