Techeetah altera cinto de segurança e recebe 120 mil reais de multa

A Techeetah foi punida em 30 mil euros por adaptar as recém-introduzidas instruções de segurança dos pilotos em Santiago, mas manteve a primeira dobradinha de uma equipe na história da Fórmula E.

Jean-Eric Vergne sobreviveu a uma batalha frenética com o companheiro de equipe Andre Lotterer a vencer a corrida e assumiu a liderança do campeonato.

Ambos os pilotos da Techeetah, junto com Jerome d’Ambrosio, da Dragon, foram colocados sob investigação, que aconteceu até o fim da tarde de sábado.

Os comissários determinaram que a equipe fez uma “modificação nas questões de segurança” determinadas para esta corrida e “não pediram ao delegado técnico antes de adicionar estas peças”.

Novas instruções foram entregues às equipes antes da primeira corrida a ser realizada sem um tempo mínimo de pit-stop para a troca de carros no meio da prova.

Isto foi feito para assegurar que os pilotos trocassem seus carros e garantissem que os cintos estavam seguramente presos, já que somente os cintos superiores tinham um sensor para confirmar que eles haviam sido suficientemente presos.

O tempo de pit-stop de Vergne foi 46.847 segundos, o mais rápido de todos, enquanto Lotterer foi o terceiro mais rápido com 48.372s e d’Ambrosio dois segundos mais lento.

A Techeetah foi multada em 30 mil euros, algo em torno de 120 mil reais, enquanto a Dragon foi multada em 15 mil euros, todas precisando ser pagadas à FIA dentro de 48 horas.

De acordo com os comissários, os departamentos técnico e de segurança da FIA esclarecerão “o que ou se qualquer modificação é permitida em respeito às instruções de segurança” antes da próxima corrida no México no dia 3 de março.

Com isto, o resultado da corrida é mantido, Vergne manteve sua liderança de cinco pontos sobre Felix Rosenqvist no campeonato de pilotos e a Techeetah mantém a vantagem de dois pontos sobre a Mahindra entre as equipes.