Senna é 9º em Paris após problema no qualifying

Um erro da equipe na calibragem dos pneus na tomada classificatória comprometeu as chances de Bruno Senna no ePrix de Paris, 7ª etapa da temporada e vencida pelo líder Lucas di Grassi. Depois de duas animadoras sessões de treinos livres, nas quais terminou em 8º e 6º, Bruno foi traído pela equivocada pressão escolhida pela Mahindra Racing para o qualifying. “Com as temperaturas baixas que enfrentamos aqui hoje, eu quase não tinha aderência. Tanto que minha volta foi mais de um segundo pior que a dos ensaios da manhã”, explicou Bruno, que cruzou a linha de chegada em 9º depois de partir apenas em 13º.

Bruno admitiu que o fim de semana foi frustrante. “Eu não esperava largar tão atrás. Saindo daquela posição, tudo ficou mais difícil. A partir daí eu sabia que dependeria de algo fora do normal, porque seria difícil ultrapassar nesta pista. Infelizmente para mim, nada aconteceu. Mesmo assim, ainda consegui deixar quatro carros para trás na base do suor”, comentou.

O traçado curto e estreito – pouco mais de 1,9 km, o menor do calendário – trabalhou contra Bruno até o final da corrida, encerrada com bandeira amarela depois que o choque do chinês Qing Hua Ma contra o muro exigiu a entrada do carro de segurança. “Ele me segurou por três voltas andando dois segundos mais lento”, afirmou. Mesmo com mais energia que o português Antonio Félix da Costa nos últimos momentos, Bruno lutou mas não conseguiu a ultrapassagem. “Acho que erraram no cálculo da distância da prova. Ela deveria ter pelo menos mais duas ou três voltas.”

Depois de uma fase movimentada – correra antes pela Fórmula E em Long Beach e estreou na LPM2 do Mundial de Endurance com vitória na semana passada em Silverstone -, Bruno comemora o período de descanso que vem pela frente antes de voltar a defender a RGR Sport by Morand no FIA WEC no dia 7 de maio em Spa-Francorchamps. “Vou poder ficar um pouco em casa e brincar um pouco com meus drones”, concluiu. Ele divide a 11ª colocação com o francês Jean Éric Vergne, ambos com 24 pontos. Di Grassi segue à frente, agora com 126 pontos contra 115 do segundo colocado, o suíço Sébastien Buemi.