McLaren está considerando ter uma equipe na Fórmula E

A McLaren está considerando entrar na Fórmula 1 como uma equipe ou fornecedora da tecnologia de trens de força.

Um braço da empresa britânica, a Applied Technologies, fornecerá o controle de bateria da categoria de carros elétricos a partir da temporada 2018/2019. Ela também forneceu motores e inversores para todas as equipes na temporada inaugural.

O novo chefe da McLaren, Zak Brown, disse ao site norte-americano ‘Motorsport.com’ que ele gostaria de ter um envolvimento tecnológico maior na categoria “de alguma maneira”, mas não destacou especificamente qual seria a ideia.

“É ótimo que possamos demonstrar que estamos assumindo um papel de liderança e mostrando nossa competência lá”, adicionou Brown.

“Nós estamos estudando maneiras de ficarmos mais envolvidos na Fórmula E. Tudo está na mesa, desde abrirmos uma equipe, comprarmos uma equipe, trabalharmos com uma equipe para desenvolver outras áreas dentro da Fórmula E que a McLaren aplica tecnologia”.

“Podemos ir além da tecnologia da bateria”.

Se a McLaren tem intenção de fornecer trens de força na Fórmula E na próxima oportunidade disponível – 2018/2019 – terá que ter enviado sua inscrição no mês passado.

Falando antes do processo ser encerrado, Brown reiterou que a categoria está se tornando em algo difícil de ser ignorado.

A Fórmula E está em sua terceira temporada, e já atraiu montadoras como Jaguar, Renault, Audi, BMW e a DS, bem como as menos conhecidas e emergentes marcas como Mahindra, NextEV e Venturi.

A Audi entrará como equipe de fábrica a partir da próxima temporada, enquanto a BMW, atualmente parceira técnica da equipe Andretti, deve se registrar como fornecedora de motores para a partir de 2018/2019.

A equipe de Fórmula 1, Mercedes, assegurou uma opção de entrar na categoria em 2018/2019, mas não se sabe ao certo sua decisão.