Lucas di Grassi conquista seu 17º pódio na Fórmula E

No apertado circuito do Principado, a falta de pontos de ultrapassagem mostrou-se latente e, apesar das tentativas de tomar a liderança de Sébastien Buemi, o brasileiro da ABT Schaeffler Audi Sport somou importantes pontos na continuação da luta pelo título

Lucas di Grassi conquistou neste sábado (13), em Mônaco, seu 17º pódio em 26 corridas da Fórmula E. O brasileiro da equipe ABT Schaeffler Audi Sport terminou a disputa nas apertadas ruas do Principado na segunda posição – a mesma de onde largou – e cruzou a linha de chegada a apenas três décimos de segundo do vencedor, Sébastien Buemi, da Renault e.Dams, após intensa batalha pela vitória nas voltas finais da quinta etapa da temporada.

Os dois pilotos, que lideram a classificação geral, refletiram bem o que tem sido o campeonato até agora: dispararam na frente da concorrência e disputaram, entre si, cada metro do apertado traçado de 1,7 quilômetro. O oponente mais próximo dos líderes, Nick Heidfeld, terminou em terceiro ao chegar 13 segundos atrás de Buemi e Di Grassi. Na tabela de classificação, situação semelhante com o suíço somando 104 pontos contra 89 do brasileiro; o terceiro colocado é Nico Prost, com apenas 48.

“Tivemos outra grande luta hoje – tanto na classificação como na corrida. Com o carro que tínhamos hoje era possível vencer a Renault”, disse Lucas. “Infelizmente, o circuito praticamente não oferece nenhum ponto de ultrapassagem. Além disso, Séb é um piloto forte e experiente – mas se ele tivesse deixado alguma abertura, por menor que fosse, sem dúvida eu teria me lançado em ataque”, disse o brasileiro, que agora fica a uma distância de 15 pontos do líder após excelente recuperação no ePrix anterior, na Cidade do México, onde venceu e reduziu o déficit em relação à ponta da tabela.

Di Grassi lutou pela pole-position, que escapou por muito pouco. Na largada, os dois primeiros colocados mantiveram suas posições e assim foi até o final. “Na primeira metade da corrida o ritmo não estava tão bom, mas estávamos economizando muito mais energia. Já na segunda parte eu estava tentando acompanha-lo de perto. Eu tinha um por cento a mais de energia que ele, então eu sabia que se eu tivesse a estratégia correta eu poderia ataca-lo no final. O problema é que aqui em Mônaco não há pontos de ultrapassagem e se você é um cara experiente como o Seb, você vai saber fechar a porta. Além disso, eu jamais buscaria um espaço onde não dá para ultrapassar, sob o risco de comprometer toda a corrida. Se ele tivesse deixado alguma porta aberta, ou se alguma das retas tivesse mais de 360 metros de comprimento, com certeza eu teria tentado com mais veemência”, afirmou o piloto da ABT Schaeffler Audi Sport.

Lucas economizava energia para buscar o ataque nas voltas finais. Estratégia que foi colocada em prática conforme o desenhado. Faltou conseguir a ultrapassagem, em um traçado tão apertado como o de Monte Carlo. “Mônaco é um circuito em que a pole position representa uma importância maior do que em outros. Senti que tinha um carro mais rápido que o do Buemi; tentei ultrapassá-lo na última volta por dentro e por fora, mas não foi possível e cruzamos a linha de chegada praticamente colados. De qualquer maneira, somamos mais bons pontos aqui hoje e com certeza haverá mais batalhas como esta”, concluiu.

A próxima etapa da Fórmula E acontece já no próximo sábado (20), nas ruas de Paris, na França.