De 14º para 4º, Rosenqvist fez uma excelente corrida de recuperação no Chile

A primeira corrida da Fórmula E no Chile viu a Mahindra Racing se recuperar de um sessão de qualificação ruim para o time. Uma pista empoeirada e escorregadia não contribuiu com a equipe em termos de configurações dos carros para a classificação.

Um incidente na primeira volta viu Nick Heidfeld parar quase que imediatamente para trocar de carro e continuar sua corrida. Infelizmente, com um dos carros fora de ação, ele foi forçado a abandonar no momento em que normalmente faria seu pitstop.

Já Felix Rosenqvist fez uma impressionante corrida de recuperação. Antes das paradas já era sétimo colocado e deixou o pitlane em quinto. Em uma disputa dura contra Sebastien Buemi, Rosenqvist não conseguiu superar o ex-campeão da categoria e terminou em 4º.

A Mahindra Racing ainda segue firme na briga pelo campeonato e com 87 pontos ocupa o segundo lugar, apenas dois pontos atrás da novo líder chinesa a Techeetah. Rosenqvist está em segundo no mundial de pilotos com 66 pontos, cinco atrás do líder Jean-Eric Vergne (Techeetah) e Nick Heidfeld é o sétimo com 21 pontos.

“Foi um dia desafiante para a Mahindra, não fomos bem na qualificação, mas sabíamos que o ritmo de corrida seria bom”, disse o CEO da equipe Dilbagh Gill.

“Felix se saiu melhor do que imaginávamos e terminou em quarto”.

Rosenqvist, que caiu para segundo no campeonato, comentou que foi uma corrida muito difícil e que sua posição no campeonato o “impediu” de realizar ataque demasiadamente agressivos contra Buemi.

“Foi uma corrida difícil, eu tive que economizar muita energia e as temperaturas eram muito altas. Depois de um ótimo pitstop, consegui voltar para a quinta posição”, disse ele.

“No fim foi um dia incrível, de P14 para P4, bons pontos, é assim que precisamos fazer para vencer o campeonato”, concluiu Rosenqvist.