Toro Rosso-Honda pode optar por “penalidade tática” e usar quarto motor

Para esta temporada cada piloto poderá usar três unidades de potência, mas do ponto de vista tático, a Toro Rosso pode fornecer aos seus pilotos um quarto motor. Isso de acordo com o chefe da equipe, Franz Tost.

“Haverá uma fase em que devemos descobrir se seria melhor começar com um novo motor na parte de trás, em vez de guiar com uma unidade de potência que já tenha três ou quatro mil quilômetros, com o qual você perde energia com essa quilometragem”, disse Tost para o site ‘Motosport.com’. “Nós veremos, quando será eu não sei, mas teremos essa discussão”.

Os pilotos podem usar três motores de combustão, turbocompressores e MGU-Hs sem sofrerem penalidades nesta temporada, o MGU-K, e o sistema de armazenamento de energia (ERS), eles podem usar apenas duas unidades. No ano passado, quatro unidades de cada elemento da unidade de potência ainda podiam ser usadas. Em 2017, foram 20 Grandes Prêmios, e este ano serão 21. Tost acredita que as regras de motor mais rígidas é “loucura”.

“No ano passado, foram quatro motores e menos corridas, este ano temos mais corridas e menos motores, só posso dizer que esta regra é loucura”, Tosto comentou. A Red Bull pediu um relaxamento dos regulamentos.

“Mas a Ferrari se opôs a isso, eles pensam que têm uma vantagem com três motores, e essas são as regras, então temos que conviver com elas, aceitá-las, mas quantas unidades de potência precisaremos, ainda não sabemos ao certo”.

Toro Rosso está em sua primeira temporada com os motores Honda.