Todt: “Para atrair novas equipes devemos baixar o custo da F1”

A Fórmula 1 não vai atrair mais novas equipes sem que a nova proprietária Liberty Media modifique seu sistema de receita, acha Jean Todt, presidente da FIA.

A Liberty deixou claro que acredita que as equipes maiores ficando com a maior parte da renda de direitos comerciais do campeonato é um grande obstáculo para aumentar a competição.

Enquanto a estrutura de premiação monetária foi feita em acordos bilaterais que não podem ser alterados antes do final de 2020, a Liberty quer reformar o sistema depois disso.

A F1 está atualmente três equipes abaixo de seu grid máximo de 26 carros e não tem muitos inscritos em seu pelotão desde a temporada de 1995.

Todt disse “claramente devemos ser capazes de preencher os lugares vazios”, mas argumentou que a disparidade de distribuição de receita era o principal obstáculo.

“A única maneira de preencher os espaços é provavelmente por uma distribuição diferente das receitas, o que não é um problema da FIA”, disse ele. “É um problema, mas não estamos envolvidos com isso.”

Ele reconheceu que os custos gerais da F1 caindo também ajudariam.

“Minha opinião, algo que eu expressei muitas vezes, a Fórmula 1 é o topo do automobilismo, é um grande show, mas custa muito dinheiro”, disse Todt.

“Temos de ver como podemos tornar a categoria mais acessível.”