Romain Grosjean comemora posição de largada dentro do top 10

Romain Grosjean diz que ficou feliz com a reviravolta da Haas dos treinos livres para o classificatório no Bahrain ao assegurar uma posição no Q3 pela segunda vez em três corridas.

O francês sofreu uma última sessão de treinos livres cheia de problemas e reclamou sobre a dirigibilidade do seu VF-17 antes de rodar e acertar a barreira de pneus saindo da Curva 4, danificando a frente do seu carro.

Grosjean retornou à ação durante a fase final da sessão e surgiu como uma força mais competitiva no treino classificatório, chegando ao Q3, no qual foi nono colocado.

“É ótimo dar uma reviravolta no mesmo dia, como fizemos”, disse Grosjean. “Nós realmente sofremos na última sessão de treinos livres e não conseguimos tirar muito carro. Mas os caras fizeram um grande trabalho ajustando para o classificatório e o carro pareceu muito melhor desde as primeiras voltas no Q1”.

“Isto foi bom e estou muito feliz onde estamos. Nós estamos numa boa posição para começar a corrida”.

“No ano passado, começamos em nono e terminamos em quinto, então qualquer coisa é possível; será uma corrida longa e a degradação dos pneus será a grande coisa aqui”.

Kevin Magnussen, enquanto isso, classificou-se em último depois de ter que abortar sua última volta no Q1 por conta das bandeiras amarelas, causadas pela parada de Carlos Sainz Jr.

“Isto foi má sorte, estas coisas acontecem, mas é sempre chato”, refletiu o piloto dinamarquês da Haas. “É assim que é às vezes, nós apenas temos que levantar amanhã e termos uma boa corrida. Obviamente na China, as condições de corrida eram um pouco mais fáceis para conseguir uma grande recuperação, mas a corrida ainda nem começou”.