Ricciardo busca “redenção” sobre o GP de Mônaco de 2016

Dois anos depois de ter sido “roubado” da vitória, por um pit-stop desastroso em Mônaco, Daniel Ricciardo diz que quer a sua redenção.

O australiano chegou o mais perto que ele já esteve de ganhar nas ruas de Monte Carlo, quando em 2016 liderava a corrida à frente de Lewis Hamilton. No entanto, um problema no pit-stop da Red Bull destinou o piloto ao segundo lugar do pódio. Ricciardo adentrou nos boxes e, a sua equipe atrasada, não tinha ainda os seus novos pneus a postos – uma parada que durou uma “eternidade” para o time todo. Naquele ano Sergio Pérez levou a Force India ao terceiro lugal.

Em 2017, Ricciardo tentou obter aquela vitória sonhada, mas uma qualificação ruim – resultado de ter ficado preso no tráfego – deixou o australiano na P5 e ele só conseguiu o terceiro lugar na corrida.

Mas nesta temporada ele quer redenção: “Mônaco é a minha corrida favorita do ano, porque cria mais adrenalina e emoção. O circuito é insano; Eu não quero dizer que não devemos pilotar carros lá, porque é a melhor coisa de todas, mas é louco pensar que corremos pelas ruas tão perto das paredes como nós fazemos”, disse Ricciardo.

Ele acrescenta: “Eu adoro toda a atmosfera, há muita intensidade e o risco e a recompensa são os melhores do ano. Espero que eu também receba alguma redenção”.

O piloto da Red Bull é um grande fã do circuito de rua de Monte Carlo, além de ser mais um dos pilotos residentes do principado: “Tabac e a piscina, eu amo tudo isso. Curvas 12, 13 e 14, ao longo dos freios e praticamente o final do segundo setor e início do terceiro é o meu favorito”, revela o australiano.

Ricciardo chega encorajado em Mônaco, depois que o carro da Red Bull se mostrou rápido no terceiro setor da pista de Barcelona, provavelmente uma das partes mais próximas ao traçado de Mônaco, segundo diz o piloto.