Renault traça plano de ação para melhorar confiabilidade

A Renault designou uma “equipe extra” para a Red Bull à partir do GP de Cingapura como parte de um plano de ação detalhado para melhorar a confiabilidade de seus motores na F1.

As frustrações com a confiabilidade da Renault nesta temporada atingiram o ápice no GP da Bélgica quando Max Verstappen sofreu outro problema durante a corrida, quando um sensor desligou o motor.

O chefe da equipe, Christian Horner, disse que a Renault estava fornecendo um serviço “abaixo do esperado” e definiu a forma de 2017 como “terrível”.

A Renault aceitou que não estava fazendo um trabalho suficientemente bom e criou um plano de ação para garantir que as coisas melhorassem.

Cyril Abiteboul, diretor de gerenciamento da Renault na Fórmula 1, disse ao site ‘Autosport’: “O primeiro tipo de resposta é que para cada incidente que Max (Verstappen) ou qualquer outro piloto teve, um medida deve ser estabelecida.

“A última foi o problema no sensor que tivemos em Spa. Agora, há um procedimento melhor documentado do que o anterior. Não é uma questão de pedir desculpas, porque aquilo já deveria estar lá. Não estou procurando desculpas. Deveria estar lá e agora está.

“O segundo elemento é que, em termos de introdução de partes, temos sido mais do que leais à Red Bull no que diz respeito à disponibilização das melhores partes – inclusive às custas da Renault. Sentimos que devemos isso à Red Bull e Max.

“E a última coisa é que adicionamos mais recursos em termos de pessoal. A partir de Cingapura, teremos alguém dedicado a eles e outra pessoa cuidando da confiabilidade e das operações. Estamos reagindo. E estou orgulhoso da maneira como estamos lidando com a situação”, concluiu Abiteboul.