Renault teria encontrado meio segundo com novo motor

A Renault enfrentou sérios problemas de desempenho e confiabilidade com seu turbo V6 nas últimas duas temporadas da Fórmula 1.

A montadora francesa fez aprimoramentos adicionais na especificação de motor que introduziu no GP dos Estados Unidos em outubro do ano passado, que originalmente desapontou a Red Bull quando foi utilizado durante a penúltima corrida no GP do Brasil.

Remi Taffin estabeleceu como meta reduzir a diferença em relação à Mercedes pela metade neste ano e revelou que a nova unidade de potência, que é a especificação que a Renault usará na primeira etapa de 2016 em Melbourne, proporcionou uma melhoria decente em termos de tempo de volta.

“Agora, nós chegamos a um ponto onde sabemos que podemos chegar lá”, declarou Taffin. “Os conceitos estão na mesa, temos alguns fatos comprovados dos dinamômetros e provamos que uma melhoria superior a meio segundo ao longo do inverno é visível. Nós conseguimos”.

“Para ser justo, é muito difícil nos comparar com a Mercedes. Eles estão escondendo o jogo e obviamente irão mostrar tudo quando chegarmos ao Q3”, disse ele em referência ao GP da Austrália.

“Creio que, em termos relativos, deveremos ficar mais próximos deles, mas a diferença ainda vai existir, e é justo dizer – dependendo de como avaliarmos a temporada e dos passos que conseguirmos dar – que a meta ainda é começar 2017 em condição de lutar com eles, se produzirmos um bom carro”.

“Se continuarmos trabalhando com a Red Bull, talvez eles também possam entrar novamente na disputa. Não acho que eles irão perder sua habilidade de construir carros vencedores”.