Renault não vê obstáculos para o retorno de Robert Kubica

O chefe da Renault, Cyril Abiteboul, diz que não há “obstáculos claros” para Robert Kubica retornar para a Fórmula 1, seguindo seus recentes testes com a equipe.

Kubica correu na Fórmula 1 entre 2006 e 2010, mas sua carreira no Grande Prêmio foi interrompida quando sofreu sérios ferimentos no braço em um acidente de rally em 2011.

“O primeiro teste não foi mais do que uma oportunidade para ele voltar atrás do volante de um carro de F1”, reiterou Abiteboul em Silverstone nesta sexta-feira.

“É um carro de F1 modelo 2012, com pneus de demonstração, um motor V8, que não coincide exatamente com o atual carro de F1, então o que quer que pensamos não é muito representativo.

“No segundo teste, no entanto, nós trabalhamos mais para o que poderia parecer um plano para dar a ele e a nós a oportunidade de avaliar um pouco mais suas limitações e habilidades.

“Ele ainda é rápido e muito consistente e, mais importante ainda, ainda tem energia, impulso e o entusiasmo que ele sempre teve e levou ao time”.

Puxado para saber se Kubica estaria preparado para uma corrida ele acrescentou: “Eu não diria nem sim nem não.

“Não vimos obstáculos claros, mas o que posso dizer é que testar nessa circunstância e testar um carro moderno são coisas diferentes.

“Mais uma vez, esta situação é complexa, não estamos fazendo isso para o propósito de PR (falando sobre publicidade), embora vejamos que está criando muita expectativa e foco da mídia. Não é por isso. Nós nos preocupamos muito com Robert”.

Abiteboul se recusou a falar sobre as possíveis oportunidades para a Kubica, em meio à especulação de que o piloto poderia aparecer no teste pós GP da Hungria na equipe.

“É muito cedo para falar sobre os próximos passos, não quero (adicionar) especulações”, disse ele.

“No momento, o foco está em obter o máximo do pacote que temos, e então estaremos pensando em 2018 no seu devido tempo, o que não é agora”.