Renault diz não ter pressa por resultado positivo

Frederic Vasseur diz que a Renault não sofre nenhuma pressão para obter resultados nas primeiras corridas de 2016. A marca francesa retorna à Fórmula 1 com equipe própria neste ano como depois de comprar a Lotus, e seu CEO Carlos Ghosn delineou um plano de três anos para a equipe voltar ao pódio.

“Nós sabemos muito bem que começamos este projeto extremamente tarde e que onde precisamos ir é ambicioso, mas agora não estamos sob pressão para alcançar resultados”, disse o chefe da Renault. “O roteiro de Carlos Ghosn é muito claro: ele quer lutar por pódios em nosso terceiro ano de competição. Portanto, temos que fazer os movimentos certos, e não nos apressar para ir bem logo em Melbourne”.

“Se você mantiver o cronograma e lutar por pódios em três anos, você tem que olhar para os seus concorrentes… para os seus recursos, pessoal e, em seguida, você precisa ter os mesmos alvos para lutar com eles de forma consistente. Eu estou muito feliz com a qualidade do pessoal, a equipe é dedicada e focada no trabalho. Agora, temos que complementar a força de trabalho que temos, mas vamos fazê-lo corretamente e encontrar as pessoas certas”, prosseguiu ele.

A Renault já relatou progressos significativos com a confiabilidade e dirigibilidade de sua unidade de potência durante o inverno. No entanto, Vasseur ainda está mantendo suas expectativas em cheque e diz que a equipe deve manter uma atitude “realista”.

“É muito difícil ver onde estamos antes do início da temporada. Temos que nos concentrar em nosso trabalho e tentar melhorar onde podemos ao invés de gastar tempo analisando onde estamos em termos relativos. Temos que lutar com todo o grid e todos têm o mesmo objetivo: ir mais rápido do que os caras ao redor. Precisamos manter nossa oposição sob pressão e nunca desistir”, explicou.

“Não será uma tarefa fácil, pois começamos muito tarde para esta temporada, mas vamos ver em 2017. Em última análise, não importa onde começamos, mas nós precisamos estar alinhados com nossas metas. Vamos sempre visar terminar nos pontos, mas tendo em mente que só criamos a equipe em dezembro, precisamos ser realistas e não começar a apontar o dedo para ninguém”, finalizou o dirigente.