Renault: “Dependência em Nico Hulkenberg é quase injusta”

Cyril Abiteboul, da Renault, diz que a dependência da equipe em Nico Hulkenberg é “quase injusta”, e que Jolyon Palmer tem que entregar marcando pontos.

Palmer ainda não marcou em sua segunda temporada de Fórmula 1 com a Renault, enquanto o novo companheiro de equipe Nico Hulkenberg terminou no Top 10 em quatro das últimas cinco corridas.

Isso levou à especulação sobre o britânico para além do final da temporada, embora Palmer tenha terminado em 11º em Mônaco e Montreal para aliviar parte dessa pressão.

Perguntado se Palmer estava a salvo da ameaça de ser substituído – e se a equipe tinha uma alternativa que poderia fazer melhor – Abiteboul disse à ‘Autosport’: “Ninguém está seguro na F1”.

“A F1 não é um ambiente onde alguém pode dizer alto: ‘Estou seguro’. Até certo ponto, há duas perguntas. Existe Jolyon, e há um segundo piloto alternativo. Neste momento, meu foco está em Jolyon. Jolyon deve entregar”.

“O que aconteceria então – eu não quero elaborar sobre isso – e ainda mais, quem iria entrar, porque esse não é o ponto para hoje”.

“O fato é que Jolyon tem um carro que é capaz de pontuar, e ele tem que entrar nos pontos. No momento eu sinto que é um pouco quase injusto para Nico, que tem que fazer muito. A equipe é claramente muito dependente dele”.

“Quando Nico está fora do jogo, inclusive por razões além de seu controle, como (em Mônaco) quando ele teve a falha na caixa de câmbio, lutamos para terminar nos pontos, apesar de uma série de carros que também não estavam terminando a corrida”.