Raikkonen escapa de penalidade após incidente com Magnussen

A FIA decidiu não penalizar Kimi Raikkonen por ter supostamente impedido Kevin Magnussen, nos momentos finais da classificação.

Magnussen passou o piloto da Ferrari quando ele começou sua última chance de volta na sessão, para o GP da França de Fórmula 1. O dinamarquês, anteriormente, foi forçado a abortar uma tentativa de volta, quando seu colega de equipe na Haas, Romain Grosjean, bateu trazendo a bandeira vermelha.

Raikkonen, que também estava começando uma volta para marcar tempo, se aproximou de Magnussen pela reta principal e o repassou na curva um, antes de decidir abortar sua tentativa. Após o incidente, o piloto da Haas ficou convencido de que isso constituía impedimento desnecessário.

“Não importa o que, ele (Raikkonen) ia ferrar a volta”, disse o dinamarquês.

Entretanto, o piloto colocou em dúvida se os comissários penalizariam um corredor, segundo ele, de uma das três melhores equipes.

“Isso não acontece. Porque, você sabe, é dessa forma que funciona”, alegou Magnussen.

Pilotos e seus representantes foram convocados para comparecer aos comissários de corrida: “Os comissários examinaram evidências em vídeo do incidente e da comunicação de rádio de ambos os pilotos envolvidos”, disse a FIA em um comunicado.

Na decisão, os responsáveis expressaram que o piloto do carro 7 (Raikkonen) não impediu desnecessariamente o carro 20 (Magnussen). Apesar, segundo eles, “do efeito negativo que o incidente teve na volta do carro 20”.