Pressionado depois de erros, Grosjean ficaria feliz em permanecer na Haas

Romain Grosjean disse que “ficaria feliz em permanecer” na Haas além do fim de seu contrato que termina neste ano. Mas as negociações podem estar se aproximando o pior momento possível para o francês, já que ele está no meio de outra baixa na carreira e sendo ofuscado por seu companheiro de equipe, Kevin Magnussen.

Grosjean admite que cometeu alguns erros. “O que eu posso te dizer?” Ele falou à ‘Motorsport-magazin.com’ da Alemanha. “Nós não somos robôs. Tenho certeza que quando você escreve um artigo, às vezes você comete um erro de digitação”, disse Grosjean.

Mas não são apenas os erros. Embora o VF18 seja competitivo e Magnussen goste de pilotá-lo, Grosjean está lutando contra a subviragem. “Certamente não vou aprender a gostar, mas posso me adaptar”, disse ele.

“Na China, onde tínhamos muita subviragem, eu estava no Q3. Mas se você quer tirar o máximo do seu carro, tudo tem que estar certo para você. Espero que a próxima atualização me ajude muito.”

O que está claro, no entanto, é que suas atuais lutas não são boas para as pretensões de Grosjean em usar a Haas como trampolim para a Ferrari.

“Eu nunca diria não para ir à Ferrari um dia”, disse Grosjean. “Esse é meu sonho e eu não nego isso.

“Mas eu não estou aqui porque imaginei entrar na Ferrari. Isso foi algo que a mídia inventou. Pensei que isso me ajudaria a crescer, me tonar um piloto melhor e algum dia lutar pelo título se eu tivesse a chance.”

Mas antes que isso aconteça de fato, Grosjean está passando por uma ‘má fase’ e até mesmo sua vaga na Haas está sendo colocada em xeque.

“Isso é uma pergunta para Gunther (Steiner)”, disse Grosjean. “Eu sei que a imprensa britânica não gosta muito de mim. Talvez poque eu seja francês. Mas eu sou muito honesto com a mídia e sempre fala a verdade.

“Meu empresário está olhando as opções para mim. Acho que estou em uma boa situação. Não estou preocupado”, disse ele.

“Sim, às vezes eu cometo erros. Mas às vezes eu faço coisas extraordinárias também. Sim, eu ficaria feliz em ficar.

“Não quero falar pela equipe, mas acho que ainda não acabou e acho que podemos fazer mais. Especialmente com as regras de 2021. Isso deve dar oportunidades para as equipes alcançarem o equilíbrio de potência. Veremos o que o futuro nos reserva.”