Pirelli: “Guerra de pneus” vai aumentar os custos e dissipar o pelotão

Um retorno à competição de pneus na Fórmula 1 aumentaria os custos e “dissiparia” o pelotão, segundo o gerente de corridas da Pirelli, Mario Isola.

A Pirelli é a única fornecedora de pneus da F1 desde que retornou ao campeonato em 2011 e tem um acordo que vale até o final de 2019.

A última vez que a F1 teve mais de um fornecedor de pneus foi em 2006, que foi a última temporada da rivalidade entre Michelin e Bridgestone.

No último ‘Global Fan Survey’ (Pesquisa global realizada com os fãs da F1), 69,4% dos fãs pediram a volta da concorrência entre os fabricantes de pneus.

Falando para a ‘Autosport’, Isola disse que não pensa que pode haver novamente uma “guerra de pneus”.

“É umas situação diferente”, disse ele. “No momento, fornecemos o mesmo produto para todas as equipes, por isso colocamos todas as equipes no mesmo nível, em termos de pneus.

“Se você abrir a concorrência, você aumentará os custos, porque precisará de muitos testes.

“Você terá melhores equipes com um produto melhor em comparação com o pelotão intermediário ou inferior, pois você não terá nenhuma obrigação de fornecer o mesmo composto para todos.

“Você vai criar uma diferença entre as melhoras equipes e as outras.

“Talvez com dois ou três fabricantes de pneus, você poderá ter um par lutando no topo, mas o restante lutando pelo desempenho.

“Com o pneus, você pode encontrar facilmente meio segundo ou até mais, então você gera uma diferença maior (entre as equipes) em comparação com agora”.