Pirelli faz suas previsões para o GP da Europa

A Fórmula 1 visita o mais novo país sede de um Grande Prêmio desde a entrada da Rússia no calendário, em 2014. São 32 países diferentes desde a criação do campeonato, em 1950. A etapa da Europa, uma marca que estava fora da categoria desde 2012, quando foi realizada em Valência, na Espanha, será realizada em Baku. Este deve ser o circuito de rua mais rápido já visto. Nesta prova, a Pirelli nomeou os compostos médio, macio e supermacio. Como sempre é o caso de novas praças, a Pirelli teve que usar informações e simuladores ao invés de dados reais, o que torna o processo de escolha dos pneus ainda mais complexo.

 

O CIRCUITO DO PONTO DE VISTA DO PNEU:

  • Como é um circuito de rua, com asfalto novo, são esperadas baixa aderência e uma grande evolução da pista durante o fim de semana.
  • Consumo e degradação podem ser baixos, por isso um espectro médio de tipos de pneus foi escolhido.
  • Ultrapassar é complicado em uma pista estreita, o que significa que a estratégia e o treino classificatório serão vitais.
  • Como os times não possuem qualquer informação sobre a pista, esperamos que todos os pilotos andem muito nos treinos livres.
  • Velocidades máximas elevadas são esperadas na reta de 2.2 quilômetros ao longo da esplanada.
  • Baku terá a segunda volta mais longa do calendário, apenas atrás de Spa-Francorchamps, na Bélgica, ao ter uma pista de 6.003 km de extensão.

 

OS TRÊS COMPOSTOS ESCOLHIDOS:

  • Branco médio: este não foi escolhido de forma extensa pelas equipes, então não deve aparecer muito.
  • Amarelo macio: um pneu de alta gama de trabalho, que pode ser muito importante no calor de Baku.
  • Vermelho supermacio: a escolha mais popular, que será usada de forma pesada tanto no treino classificatório como na corrida.

 

O ÚLTIMO GRANDE PRÊMIO DA EUROPA:

  • O último Grande Prêmio da Europa foi realizado quatro anos atrás, em Valência, na Espanha, sendo a oitava etapa daquela temporada. Fernando Alonso, então na Ferrari, venceu, mesmo saindo da 11ª colocação.

 

PAUL HEMBERY, DIRETOR DE MOTORSPORT DA PIRELLI:

  • “Ouvimos muitas coisas interessantes sobre o circuito e parece que o seu caráter, tamanho de volta e velocidade farão com que ele se destaque. Obviamente, nunca é fácil quando vamos para uma pista nova pela primeira vez, mas as condições e os pneus são sempre os mesmos para todos. A seleção de compostos que nomeamos deve funcionar bem em uma grande gama de situações. Agora, é claro, vai depender dos times aproveitá-los ao máximo e identificar as melhores estratégias, por isso que os trabalhos nos treinos livres serão tão importantes”.

 

O QUE HÁ DE NOVIDADE:

  • Basicamente, tudo!
  • A largada será mais tarde do que o normal, às 17h locais, para um total de 51 voltas.

 

OUTRAS COISAS QUE CHAMARAM NOSSA ATENÇÃO RECENTEMENTE:

  • Não houve uma variação excepcional das escolhas dos pneus entre cada time para Baku.
  • Previsão do tempo prevê clima quente, mas com alta umidade: chuva é uma possibilidade.

Mesmo sendo um circuito composto por ruas da cidade, grande parte de sua superfície de asfalto é nova.