Pilotos da F1 devem gerenciar melhor o DRS, diz Whiting

Charlie Whiting, diretor de corridas da FIA, diz acreditar que não há nada de errado em incorporar uma curva às zonas de DRS e que os pilotos precisam apenas gerenciar melhor o sistema.

No último final de semana, a nova zona de DRS em Silverstone (do começo ao fim da pista até a curva 3) levou a dois grandes acidentes. Romain Grosjean e Marcus Ericsson desativaram o DRS muito tarde antes da curva 1 e rodaram o carro.

Embora Whiting tenha dito que essa zona em particular não ajudou no aumento das ultrapassagens, ele defendeu seu uso e disse que administrar o DRS era parte do trabalho dos pilotos.

“Eu não acho que isso (novo ponto de DRS) realmente ajudou. A ideia era que os pilotos pudessem chegar um pouco mais perto do que teriam feito de outra forma e, portanto, estar em uma posição melhor para atacar as retas entre as curvas 5 e 6”, disse Whiting.

“Acredito que os incidentes em que os pilotos perderam o controle durante a curva 1 – porque tiveram seu DRS aberto durante a curva – são uma opção do piloto.

“É como qualquer curva que é desafiadora para os pilotos, às vezes eles tentam fazer acelerando quando não é realmente propício, então eles giram. Se eles achavam que poderiam fazer isso, eles podem tentar. Não é um requisito fazer isso.”

Apesar de Whiting admitir que a nova zona de DRS – na pista de Silverstone – não contribuiu, a FIA continuará com um ponto extra na próxima corrida em Hockenheim.