Patrocinador não renova e complica futuro de Nasr na Fórmula 1

Banco do Brasil anunciou que não vai continuar apoiando equipe na próxima temporada e diminui em 2/3 patrocínio do piloto.

Se a continuação de Felipe Nasr na Fórmula 1 já estava complicada, agora, ela ganhou um drama ainda maior. O Banco do Brasil, parceiro do piloto desde 2011 anunciou que não renovará contrato com a equipe Sauber para 2017 e também diminuirá o patrocínio do piloto consideravelmente para o próximo ano.

A informação foi dada pelo jornal Folha de S.Paulo e confirmada pelo GloboEsporte.com. Com o objetivo de diminuir o orçamento da do Banco por conta da crise econômica do Brasil e a desvalorização do Real, a empresa estatal decidiu rever o apoio ao piloto.

Para não deixar Nasr totalmente na mão, o Banco do Brasil decidiu apoiá-lo com cerca de 1/3 do valor que fora acordado anteriormente. Com isso, o brasiliense teria que buscar outros dois patrocínios que lhe davam o valor necessário para uma vaga na Sauber ou na Manor, equipes que ainda não confirmaram seus pilotos para a próxima temporada.

Confira a nota do Banco do Brasil na íntegra:

– O Banco do Brasil informa que condicionou a renovação do contrato de patrocínio à escuderia Sauber na F1 à entrada de outros patrocinadores, públicos ou privados, reduzindo o valor investido pelo Banco no projeto de marketing. O Banco do Brasil reconhece o talento do piloto Felipe Nasr, orgulha-se por ser o patrocinador responsável por seu ingresso na F1, mas, por restrições orçamentárias e estratégias de marketing, entende como necessário rever seu investimento na categoria neste momento.

A equipe de Felipe Nasr evitou comentar a decisão do Banco do Brasil e se limitou a dizer que segue negociando por uma vaga ao piloto.

-Está tudo sendo negociado, não tem nenhuma definição. Estamos negociando ainda com todo mundo. Por enquanto isso é tudo especulação. Logo depois do GP de Abu Dhabi podemos ter novidades. Se estamos negociando a permanência dele na F1, então não posso falar em plano B – disse Carlos Cintra Mauro, mais conhecido como Lua, responsável pelo contato com a imprensa.

É válido lembrar que com os dois pontos conquistados no GP Brasil, Felipe Nasr deu uma boa possibilidade da Sauber terminar na 10ª colocação no Mundial de Construtores, o que daria a equipe cerca de € 40 milhões. Dinheiro no qual a equipe já tinha dito que não mudaria em nada na negociação com o piloto.