Para Wolff, FIA não deveria ser tão rigorosa nas punições

Toto Wolff, chefe da Mercedes na Fórmula 1, acha que a FIA não deveria ser tão rigorosa ao punir manobras agressivas.

Max Verstappen perdeu o pódio no GP dos Estados Unidos após receber uma penalização de cinco segundos por cortar uma curva ao ultrapassar Kimi Raikkonen na disputa pelo terceiro lugar na última volta da prova.

A decisão foi controversa, com várias pessoas se irritando com a falta de consistência dos comissários no que diz respeito ao abuso dos limites da pista.

No ano passado, o Grupo de Estratégia da F1 concordou que a FIA deveria ser mais liberal em relação aos limites da pista e só punir manobras que causam acidentes ou coloquem outro competidor em risco antes da FIA esclarecer sua postura sobre o assunto.

Wolff acredita que a atitude sugerida pelo Grupo de Estratégia é necessária agora, e que ultrapassagens como a de Verstappen não deveriam ser sancionadas tão rapidamente pela FIA.

“Minha opinião é que deveríamos deixar os pilotos brigarem, mas se alguém é injusto e está usando o circuito como não deveria para tirar vantagem, deve ser penalizado”, disse ele. “Se for só uma disputa dura e ele está tentando passar, não deveria ser punido tão rapidamente”.